Cirurgias plásticas masculinas quadruplicaram nos últimos cinco anos

Redução da mama é uma das mais procuradas

Por O Dia

Rio - Entre as mulheres, a cirurgia plástica sempre foi encorajada e vista como caminho para corrigir imperfeições físicas. No mundo masculino, o procedimento já foi encarado como um grande tabu, mas essa realidade mudou. Por dia, 756 intervenções cirúrgicas são feitas para melhorar a aparência de homens, uma média de duas por minuto. A contagem quadruplicou nos últimos cinco anos, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Entre os procedimentos mais procurados, estão a ginecomastia redução de mamas e a lipoaspiração em diversas partes do corpo.

A diminuição do preconceito, o status do Brasil como referência no mercado de cirurgia plástica e a compreensão desse procedimento como popular são alguns motivos que ajudam a entender o aumento nos procedimentos. "A busca pela juventude é frequente no dia a dia das pessoas, e os homens também se preocupam com esse rejuvenescimento. Todo paciente quer estar bem consigo mesmo", explicou o cirurgião plástico Fernando Bianco.

No topo das intervenções mais procuradas estão o lifting facial, que elimina rugas no rosto e no pescoço; a blefaroplastia, para melhorar a aparência das pálpebras; a rinoplastia, que remodela o nariz; e a otoplastia, para corrigir orelhas de abano. Além dos procedimentos mais realizados, Bianco chama a atenção para a ginecomastia, que corrige glândulas mamárias de homens insatisfeitos com o crescimento exagerado das mamas.

?Entre os homens, há segredo

Apesar de os números indicarem uma melhor aceitação social das cirurgias masculinas, ainda há pacientes que relutam em assumir essa condição, como o empresário, de 52 anos, que preferiu não ser identificado. Ele já passou por uma lipoaspiração há dois anos e, em setembro, realizou rinoplastia e otoplastia. "Homem que fez cirurgia não comenta isso com ninguém. Tenho amigos para quem nunca falarei que fiz uma cirurgia no nariz, por exemplo. Podem não me criticar, mas não me sinto à vontade. Ainda existe aquele preconceito bobo que gera um comentário desnecessário. O machismo persiste quando há busca pela estética", confessou.

A melhora da autoestima, no entanto, é a principal razão para que os homens se submetam aos procedimentos. "São intervenções discretas, mas fazem bem. É um detalhe para me sentir melhor. Sinto-me um pouquinho mais perfeito, ou menos imperfeito", analisou o paciente.

Para os que pensam em modificar a aparência, a dica de quem tem experiência no assunto é buscar recomendações e identificar o profissional adequado. Dessa forma, é possível passar pela cirurgia plástica sem receio de resultados indesejados. É indicado que o paciente faça uma pesquisa sobre o procedimento e, o mais importante, é não ter medo de realizá-lo, como sugere um outro paciente: "Não fico procurando imperfeições no meu corpo. Mas se dá para melhorar um pouquinho, a gente vai lá e melhora".

?Do estagiário Guilherme Bianchini, sob supervisão de Angélica Fernandes

Últimas de _legado_Mundo e Ciência