Sucesso nos concursos: Ritmo de estudo é individual

Concurseiros que estudam por conta própria têm muitas dúvidas ao determinar o tempo diário dedicado aos livros

Por O Dia

Rio - Concurseiros que estudam por conta própria têm muitas dúvidas ao determinar o tempo diário dedicado aos livros. Mesmo que existam parâmetros, essas horas são muito individuais. Cada pessoa tem um ritmo, e é preciso saber identificar essa característica para não ultrapassar os limites.

Ter metas bem planejadas é o primeiro passo para o sucesso nas provas. Mas isso não quer dizer que os prazos e anseios não possam mudar. É necessário balancear três coisas: tempo de estudo, prazo até a prova, e entretenimento. Essa é a fórmula que leva à aprovação.Determinado isso, é importante sempre se superar. Se o estudante começou dedicando quatro horas diárias à prática, quando se sentir preparado, deve aumentar mais uma. Veja outras dicas abaixo.

Por Cláudia Jones

PERGUNTA E RESPOSTA

“Já estudo há alguns meses para concursos. No entanto, percebo uma certa desorganização minha em relação ao meu tempo. Acho que me perco muito e acabo desperdiçando-o. Gostaria de saber quanto tempo por dia devo dedicar a esse estudos e como administrar isso?”.

Natália, Ilha do Governador

Prezada Natália,

Essa questão é algo que deve ser de acordo com cada pessoa, já que o tempo disponível é muito individual e, assim, fará sua programação personalizada. Mas é importante que o tempo destinado ao estudo seja possível de ser cumprido. Assim, você deve ser honesta consigo mesma e com sua capacidade de concentração. O fundamental é criar o hábito de estudar, e se acostumar diariamente.

No início é doloroso e cansativo. Dessa forma, não é aconselhável iniciar os estudos com muitas horas por dia, pois provavelmente você não cumprirá a programação. O ideal é criar metas que são possíveis de serem alcançadas, conseguindo, assim, revigorar a sua auto-estima a cada meta.

Quando o tempo de estudo programado ficar menos doloroso e mais fácil de ser cumprido, você cria uma nova meta, de preferência não muito distante, para ser atingida. Há pessoas, por exemplo, que falam em seis, oito horas diárias de estudo, mas há pessoas que não suportam essa carga.

É importante trabalhar a quantidade de horas que seja agradável a você. Uma pessoa que, por exemplo, é procedente de um colégio militar possui condicionamento para estudar dez horas por dia, o que é diferente de uma pessoa que é dona de casa e decidiu estudar depois de 20 anos sem frequentar aulas.

É preciso também aprender a montar uma grade de horários e não parar de fazer outras atividades, como ginástica ou andar na praia, para estudar. Isso é péssimo. Seu ritmo tem que seguir dentro da normalidade. É possível administrar a vida, os horários, conseguir cumprir as obrigações naturais, como trabalho e lazer, fator importante para todos. Ao mesmo tempo, ter rendimento maior do que se estivesse focado apenas no estudo.

Cláudia Jones é jornalista e especialista do site Questões de Concursos

Últimas de _legado_Economia