Baixada terá água tratada para 10 mil até fim do ano

Cedae inicia obras que podem beneficiar, nos próximos três anos, dois milhões de habitantes da região, onde a falta d’água é crônica. Verba chega a R$ 300 milhões

Por O Dia

Rio - Mais de 10 mil moradores dos bairros de Rodilândia, em Nova Iguaçu, e Pilar, em Duque de Caxias, terão água tratada até o fim do ano. As obras para o abastecimento desses locais, que sofrem há décadas com a seca, estão orçadas em R$ 8 milhões e foram iniciadas na última quinta-feira, pela Cedae.

Segundo o presidente da companhia, Wagner Victer, as intervenções fazem parte do Programa de Aumento de Oferta d’Água na Baixada. Uma parceria com o Governo Estadual, que atrairá cerca de R$ 300 milhões em investimentos nos próximos três anos e permitirá que todos os municípios da região sejam contemplados com obras.

“Estimamos que cerca de 2 milhões de pessoas sejam beneficiadas. A instalação de redes de distribuição em locais com abastecimento insuficiente ou nenhum, obras em adutoras e reservatórios, além da instalação de um novo buster (sistema de bombeamento d’água, de grande porte) aumentarão significativamente o volume distribuído”, garantiu em inspeção feita ontem no local das obras.

Presidente da companhia%2C Wagner Victer realizou uma inspeção ontem em lugar que receberá as obras Alexandre Vieira / Agência O Dia

As localidades de Santa Rita e Corumbá, em Nova Iguaçú, serão as próximas a receber obras, que devem ser iniciadas em até 60 dias. Estima-se que mais de 50 mil moradores desses bairros sejam beneficiados.

Nos locais onde as obras já começaram, moradores comemoram a “nova vida” que terão a partir do ano que vem. “Tomamos banho e bebemos água fervida, captada em poços artesianos e fontes distantes daqui. A chegada do abastecimento regular traz a sensação de que finalmente somos vistos como cidadãos”, garantiu o pintor Levir da Cruz, que, em mais de 60 anos no bairro de Rodilândia, nunca tinha visto obras de regularização do serviço.

Moradores comemoram valorização

Além da alegria de finalmente contar com o abastecimento de água tratada, moradores dos bairros beneficiados comemoram a valorização de seus imóveis. 

“Há dois meses, minha casa foi avaliada em R$ 50 mil. Hoje, segundo um amigo meu, corretor de imóveis, já estaria valendo R$ 80 mil”, garantiu Levir. 

Também moradora de Rodilândia, Carmen Silveira acredita que as obras farão com que o local seja visto com outros olhos: “Sempre nos enxergaram como uma comunidade sem infraestrutura. Finalmente seremos vistos como um bairro”.

Últimas de Rio De Janeiro