PM faz operação em Madureira

Bairro tem sofrido com troca de tiros e disputa por territórios entre traficantes de facções rivais

Por O Dia

Rio - Policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) realizam uma operação na Favela Faz Quem Quer, em Madureira, desde às 5h da manhã desta segunda-feira. Um veículo blindado dá apoio aos agentes. Ainda não há informações de prisões ou apreensões.

Bandidos voltaram a trocar tiros em Madureira na madrugada desta segunda-feira. Traficantes rivais das comunidades do Cajueiro e da Serrinha iniciaram um confronto por volta das 2h da manhã. Moradores da região evitaram a Avenida Ministro Edgard Romero, via que divide as comunidades.

Constantes tiroteios na guerra do tráfico no morro do Cajueiro e Serrinha%2C em MadureiraSeverino Silva / Agência O Dia

Pelo Facebook, o traficante Cajueiro Congonha Bagdá Do Ph, postou mensagem avisando aos moradores de que iria iniciar um tiroteio. "Aí, papo reto. Vou juntar 5 mano bom e vou lá do outro lado da pista da tiro pra dentro da favela da serrinha quem mora em Madureira ouve só o ak cantando", diz a postagem original.

Em outro recado, o traficante que se diz gerente geral da comunidade do Cajueiro, diz: "Tranquilidade morador e nois q ta botando a bala pra comer e hoje q o Lacosta vai morrer vai se hoje q o lacosta vai morrer o barulho do meu ak até em Turiaçu vão escutar". Lacoste é o traficante que domina o morro da Serrinha.

Quem vive na região também usou as redes sociais para reclamar da situação. No Twitter, muitos moradores mostraram indignação: "Há 40 anos em Madureira nunca vi tão ruim de morar aqui", escreveu um. "É rotina agora essa guerra".

Tráfico de Madureira faz guerra também no Facebook

Além da guerra com fuzis e pistolas nas vielas e becos dos morros do Cajueiro e Serrinha, em Madureira, facções criminosas travam batalha pelo Facebook. Pelo teclado, bandidos narram a situação das comunidades e, entre uma postagem e outra, comemoram mortes de inimigos, desejam sorte a companheiros em confrontos e ameaçam rivais.

Em seus perfis, os criminosos se exibem, sem a menor preocupação, com armas de diversos calibres e enaltecem o poderio de suas quadrilhas. Há semanas, bandidos rivais do Terceiro Comando Puro (TCP) e Comando Vermelho (CV) duelam a bala pelo controle de várias localidades. Na linha de tiro, moradores estão apavorados, já que vários traficantes foram mortos, sendo um decapitado. Uma pessoa inocente foi baleada.

Um dos bandidos tem fuzil personalizadoReprodução Internet

As postagens dos bandidos estão cheias de erros de português e abreviações. Para melhorar o entendimento das mensagens, elas estarão corrigidas nesta reportagem. Em uma das postagens, um rapaz que identifica como Dennis Lemos, que aparece em uma foto segurando um fuzil, avisa que o Morro da Congonha, invadido recentemente pelo TCP, está tranquilo, e manda um recado para os rivais: “Maior paz, que está a Serrinha. Só tranquilidade. Breve, breve, tudo TCP no Complexo de Madureira”. A mensagem faz alusão aos planos da facção para dominar todos os pontos de venda de drogas.

Como em um diálogo, a resposta não demora. No perfil Cajueiro Congonha Bagdá do Ph (Madureira CRVL), que seria utilizado por integrante do CV, um homem faz ameaça. “Vão tomar tiros na cabeça, na cintura. Vamos dar tiros nos vacilões”. Em outras postagens, ele fala dos confrontos: “Se brotarem no cajueiro, vocês vão ficar malucos. Porque os manos estão na laje” e “Um calor da p.... E os alemães entrando na bala. Está ruim para vocês”.

O traficante Douglas de Paula, o Dina, também do CV, avisa: “Nós vamos voltar para Congonha, vamos manter o Cajueiro e vamos dominar a Serrinha. Vamos virar o jogo, pode deixar!”.
A guerra teria sido iniciada no dia 27 de dezembro, quando, durante um baile funk na Serrinha, criminosos do Cajueiro efetuaram disparos na direção da festa. Como resposta, foram iniciadas as invasões. Há poucos dias, segundo a polícia, o bando da Serrinha também invadiu o Cajueiro.

Vários cordões%2C arma de grosso calibre e símbolo da facção%3A pose bem planejada foi parar no FacebookReprodução Internet

Tudo isso com o suporte de Marcelo Santos das Dores, vulgo Menor P., que pretende fugir para lá a pacificação do Complexo da Maré. No entanto, integrantes do Comando Vermelho continuam no território e tentam resistir com a ajuda de homens expulsos da Congonha e do Morro do Juramento, em Vicente Carvalho.

Exibição com armas e joias na Internet

Suspeito de chefiar o Morro da Serrinha, Walace de Brito Trindade, conhecido como Lacosta, também se expõe. No perfil Lacosta TCP, aparece com várias armas e até mesmo um lança-mísseis. As roupas, joias e bonés remetem ao jacaré da marca francesa Lacoste, que está gravado no cordão de ouro e em um dos fuzis.

Investigadores da 29ª DP (Madureira) já monitoram os perfis dos supostos bandidos. Já a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) informou que as páginas podem ser excluídas. Os envolvidos também podem responder por apologia ao tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte de arma de fogo.

Últimas de Rio De Janeiro