Voto no inimigo

Ao votar em candidatos do PSB eleitor fluminense vai colaborar para engrossar as bancadas do PT e do PCdoB na Câmara

Por O Dia

Rio - A legislação brasileira permite algumas armadilhas. Ao votar em candidatos do PSB ou no 40 (número do partido) para deputado federal, o eleitor fluminense de Marina Silva vai colaborar para engrossar as bancadas do PT e do PCdoB na Câmara dos Deputados.

As três legendas estão coligadas para a eleição de deputados federais: é como se fossem um partido. Os votos do PSB, PT e PCdoB serão somados e comparados com os recebidos pelos demais partidos. Um cálculo definirá quantos candidatos serão eleitos pela coligação.

PT favorecido

Os candidatos que tiverem mais votos individuais ocuparão as vagas da coligação, o que tende a beneficiar os petistas, mais conhecidos pelo eleitor. Dos três deputados federais do PSB-RJ, apenas Glauber Braga tentará a reeleição. O PT-RJ tem cinco deputados.

Tempo quente 1

O tempo fechou ontem em Itaguaí. Irritado com a presença do prefeito Luciano Mota (PSDB) numa caminhada de Pezão, Jorge Picciani, presidente do PMDB-RJ, colocou as mãos em seu peito e pediu que ele ficasse longe do candidato: acabou cercado pelos seguranças do prefeito, um deles o puxou pela gola da camisa.

Tempo quente 2

Picciani diz que levará o caso ao Ministério Público e à Polícia Civil. Quer que a Guarda Municipal da cidade seja investigada, fala até em milícia.

Sem nome do pai

Alguns ex-funcionários da finada campanha de reeleição de Rodrigo Bethlem não toparam trabalhar para o filho dele, Jorge Felippe Neto, que disputa vaga de deputado estadual. Reclamam que placas com os nomes dos dois foram retiradas assim que explodiram denúncias de corrupção contra Bethlem.

Últimas de Rio De Janeiro