Incêndios atingem parques da Pedra Branca e do Mendanha

Reservas na Região Serrana e em Resende também foram atingidas

Por O Dia

Rio - Uma área equivalente a 50 campos de futebol já havia sido consumida pelo fogo no Parque Estadual da Pedra Branca até o início da noite de ontem. Até o fechamento desta reportagem, os bombeiros ainda tentavam controlar as chamas nesta e em outras cinco áreas do estado, sendo duas unidades de preservação no interior.

No Parque do Mendanha, na Zona Oeste, o fogo já se alastrara até a Serra de Madureira. Bombeiros e a Polícia Militar combatem incêndios em Três Picos, na Região Serrana, e em Pedra Selada, em Resende. No Mendanha, o incêndio começou por volta das 9 h de segunda-feira e atinge principalmente áreas cobertas por capim.

Segundo o Instituto Estadual do Meio Ambiente (Inea), bombeiros e guardas florestais estão trabalhando para conter o incêndio com o apoio de um helicóptero da PM. A ausência de chuva forte e os ventos de até 60 quilômetros por hora dificultam o trabalho.

Em Pedra Selada, foram identificados focos de incêndio desde o dia 11 de setembro. Até a noite de ontem, 50 hectares (500 mil metros quadrados) haviam sido devastado. Brigadistas voluntários de Visconde de Mauá e o batalhão do Corpo de Bombeiros da região tentam combater as chamas.

No Parque Estadual dos Três Picos, um foco de incêndio entre Friburgo e Teresópolis foi identificado ontem.No interior, uma queimada de grandes proporções já consumiu mais de 100 hectares (1 milhão de metros quadrados) de duas áreas de restauração ambiental em Miguel Pereira. As causas para todos os incêndios ainda não foram identificadas.

“Neste período temos a maior predominância de incêndios por conta do tempo seco e fortes ventos”, explicou o engenheiro ambiental André Ferretti, da Fundação Boticário.

Últimas de Rio De Janeiro