Disque-Denúncia lança cartaz de bandidos do Alemão e foragidos da Operação Urano

Investigação de oito meses tinha objetivo de identificar responsáveis por tentar desestabilizar o processo de pacificação

Por O Dia

Rio - O Portal dos Procurados lança nesta quinta-feira, cartaz com as fotos de 14 traficantes que fazem parte do tráfico de drogas, que agem no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio de Janeiro. Eles também fazem parte de um processo judicial, onde foram expedidos 46 mandados de prisão, sendo sete para apreensão de menores, seis para prisão de mulheres e 33 de homens. A operação realizada pela Policia Civil do Rio de Janeiro, foi denominada Operação Urano, e aconteceu em setembro de 2014.

A investigação começou oito meses antes e era originalmente da 45ª DP (Alemão), em conjunto com Subsecretaria de Inteligência (SSINTE) da Secretaria de Estado de Segurança, com apoio do Grupo de Apoio Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do MP. Ela tinha como objetivo identificar os responsáveis por tentar desestabilizar o processo de pacificação na comunidade do Morro do Alemão.

Após a investigação foi comprovado que com a prisão de traficantes da região, a cúpula do Comando Vermelho determinou que houvesse reações violentas, como forma de retaliações às ações da polícia. Foi descoberto também que os criminosos adotaram a estratégia de usar menores e pessoas sem anotações criminais para atuarem no tráfico, como na venda das drogas, confrontos armado e transporte de drogas.

Em escutas telefônicas obtidas com autorização judicial, no dia 27 de abril de 2014, Risodalva Barbosa dos Santos, a "Paraíba" que seria mulher do traficante Igor Cristiano Santos de Freitas, o King, um dos principais gerentes da Fazendinha, diz que "já está com mais de 50 pessoas reunidas esperando somente a ordem do gerente-geral". Em seguida, o criminoso determina que fosse destruída toda a base da UPP do Complexo do Alemão e que ainda ateassem fogo nela. Além disso, o bando teria incendiado vários ônibus e depredado, em abril, a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da região.

Foi descoberto também, que os traficantes acompanhavam o deslocamento dos PMs da Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) pela comunidade, a partir da troca de mensagens via celular. Diversas vezes, segundo as investigações, os criminosos ficavam em frente à sede da UPP monitorando os agentes, dificultando a prisão em flagrante de criminosos.

Esse mesmo grupo também era acusado por ataques que resultaram na morte de policiais militares, entre eles o comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Nova Brasília, capitão Uanderson Manoel da Silva, de 34 anos, baleado no peito durante um confronto ocorrido no dia 11 de setembro de 2014.

Nesta operação foram presas 26 pessoas, entre elas os principais responsáveis pelo tráfico daquela localidade, como o chefe do tráfico do morro, Edson Silva de Souza, conhecido pelo apelido de Orelha, e Marcus Vinícius, que foi preso quando estava dormindo ao lado do namorado, na Favela Nova Brasília. Outro objetivo da operação era também a detenção do traficante Igor Cristiano dos Santos Freitas, o King, gerente geral de parte do Complexo do Alemão. Ele ainda encontra-se na condição de foragido e existe uma recompensa de R$ 1 mil reais por informações sobre sua localização.

Ainda no decorrer das investigações, Orelha ganhou a liberdade na manhã do dia 08/11 do mesmo ano, após o Desembargador da 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), expedir um alvará de soltura que beneficiava o traficante, apesar de ter um mandado de prisão contra o acusado, expedido pela Juíza Marcela Assad Caram, da 25ª Vara, quando acatou a solicitação do MP que pedia a continuidade da prisão preventiva das 26 pessoas detidas durante a Operação Urano, e onde constava o nome de Orelha. Logo após ele sair da prisão, de forma equivocada, o Portal dos Procurados lançou uma campanha para sua recaptura, e ofereceu uma recompensa de R$ 20 mil por informações que o levassem novamente para cadeia. Até hoje Orelha encontra-se foragido.

Entre os que ainda estão sendo procurados pela Policia do Rio e que constam no processo número 0022010-45.2014.8.19.0001, com mandados de prisão, expedidos pela 23ª Vara Criminal da Capital, pelo crime de Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06) C/C Aumento de Pena Por Tráfico Ilícito de Drogas (Art. 40 - Lei 11.343/2006) C/C Tráfico de Drogas e Condutas Afins (Art. 33 - Lei 11.343/06) C/C Dano Qualificado (Art. 163, parágrafo único - CP), inciso III, se encontram: Edson Silva de Souza, o Orelha; César Silva Lira, o Cezinha; Horrana Caroline da Silva Fidélis; Igor Cristiano Santos de Freitas, o King; Igor Quirino Lopes da Silva, o Igor, Leonardo Santos, o Caju, Marcos Vinicius do Nascimento dos Santos, o Dilouco; Melina Gonçalves dos Santos, Mychel Souza da Silva; Rafael da Silva Romão; Rodrigo Alves Monteiro, o Jamelão; Rogério de Souza Barros, o Zé Barata; Thiago da Silva, o Gamizé e Vitor de Souza Sacramento, o Vitinho.

Com exceção de Edson Silva de Souza, que possui recompensa de R$ 20 mil Igor Quirino Lopes da Silva, que tem recompensa de R$ 5 mil, por ser um dos responsáveis pela morte do soldado da Policia Militar Fábio Gomes da Silva, de 30 anos, assassinado após confronto com policiais, o restante possui recompensa de R$ 1 mil cada, por informações que levem a suas capturas.

Todas as informações recebidas serão encaminhadas para 45ª DP que está encarregada do caso.

Quem tiver alguma informação a respeito da localização e paradeiro dos criminosos que estão neste cartaz, denuncie, enviando uma mensagem de texto, vídeo ou fotos para o aplicativo de mensagens do WhatsApp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, ou entre em contato com a Central Disque-Denúncia pelo (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177, para quem estiver fora da capital.

O anonimato é garantido. A Coordenação do Portal dos Procurados, alerta à população para não investigar por conta própria, devendo apenas relatar à polícia a sua suspeita.

Últimas de Rio De Janeiro