Explosão apavora moradores da Zona Oeste do Rio

Corpo de Bombeiros confirma que foi chamado para uma ocorrência no Quartel do Exército

Por O Dia

Rio - As sequências lembravam um terremoto de pequena escala em solo carioca. Mas, na verdade, o forte tremor sentido, durante a tarde de ontem, em mais de cinco bairros da Zona Oeste, foi provocado por uma detonação de explosivo falhado em um terreno do Exército na área do Camboatá, em Deodoro. O impacto quebrou janelas, tetos e telhas e provocou rachaduras em dezenas de casas de moradores do entorno. O Exército afirmou em nota que vai ressarcir os danos.

“Parecia que o mundo ia acabar, que era um terremoto. Tremeu tudo. Corri para o sofá, onde minha filha recém-nascida estava deitada, e quando olhei ela estava cheia de pedaço de telha. Por sorte não se cortou”, detalha Thamires de Oliveira Valentim, 20, que mora numa casa encostada ao muro do terreno do Exército, onde há uma espécie de paiol desativado. “Pelo menos duas vezes por semana tem explosões. Mas essa foi demais.”

Janelas da casa de Vera Lúcia saíram do lugar e os vidros ficaram quebradosFernando Souza / Agência O Dia

Em nota, o Exército explicou que “durante a execução de trabalhos programados , uma das detonações gerou uma onda de choque em níveis acima do esperado, vindo a ocasionar danos materiais em construções civis e militares diversas nos arredores do local”.

Bruno de Oliveira Vieira observa a fenda aberta em seu telhado Fernando Souza / Agência O Dia

Informou ainda que “não foram identificados possíveis danos físicos”, embora algumas pessoas tenham ficado feridas por estilhaços. Caso da aposentada Marlene Silva, 56 anos, que se feriu no rosto com os cacos de vidro de uma janela quebrada: “Corri para a janela e vi aquele cogumelo de fogo, parecia até bomba atômica. Minha casa está toda destruída. As janelas, paredes rachadas. Fico até preocupada se não danificou a estrutura”.

Ainda segundo a nota, equipes do Exército realizaram levantamentos junto aos moradores para reparações ou ressarcimentos. Em Deodoro, policiais do 41º BPM (Irajá) encaminharam uma ocorrência para a delegacia da área, onde moradores devem prestar depoimento e relacionar as perdas. 

Últimas de Rio De Janeiro