Polícia caça 'queridinho' de Playboy, especialista em roubo de carga

Além de Arafat, delegado aponta Jean Piloto como um dos homens de confiança de Playboy. Ele tem esse apelido por sua habilidade com veículos

Por O Dia

O procurado Jean Piloto%2C segundo o delegado%2C no FacebookReprodução

Rio - Possível substituto de Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, morto no sábado durante operação da polícia no Morro da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte, Carlos José da Silva Fernandes, o Arafat, não é o único criminoso que está na mira da Polícia Civil. Um outro bandido, menos famoso e que era considerado como o ‘queridinho’ de Playboy, é um dos alvos da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). Jean Raynne da Silva Andrade, o Jean Piloto, ou ‘Já Morreu’, faz parte do tráfico de drogas que age no Morro da Quitanda, também no Complexo da Pedreira.

Ele é apontado como líder de um grupo de assaltantes, que praticam todos os roubos de cargas na região. O bandido ganhou esse apelido por ter grande habilidade para pilotar veículos. “Estamos falando do Arafat, mas não podemos esquecer do Jean Piloto. É ele que mais rouba cargas nas proximidades da Pedreira e era homem de confiança de Playboy. Jean é especialista em fugas de carro e moto. Ele era o piloto do chefe do tráfico”, afirmou o delegado titular da DRFC, Marcelo Luiz Santos Martins, que na noite de terça-feira apreendeu drogas e um fuzil M1 na Pedreira. Arafat conseguiu fugir com outros criminosos.

Ainda segundo ele, que acredita na redução temporária dos roubos de carga, o criminoso é tão audacioso que mantém uma página nas redes sociais aberta e de livre acesso. Nela, Jean Piloto fala em vingar a morte de Playboy. No site Procurados, consta com uma recompensa de R$ 2 mil para quem informar seu paradeiro.

VEJA MAIS

A fila andou: novos líderes do tráfico estão na mira da polícia

Mãe de Playboy diz que reprovava a escolha dele pela vida do crime

'Daqui a pouco vai ter outro no lugar dele', diz Beltrame sobre Playboy

Segundo investigações da polícia, os roubos liderados por Jean Piloto funcionam da seguinte forma: a carga é levada para o morro, esvaziada rapidamente por um grupo de pelo menos 12 criminosos, enquanto um homem, de radiotransmissor na mão, coordena a operação.

Recentemente sua mãe Cátia da Silva Andrade foi presa, durante uma operação da DRFC ao ser flagrada guardando em casa um fuzil calibre 5.56 do filho. Contra Jean Piloto constam três anotações criminais, por porte ilegal de armas e latrocínio.

Apologia será investigada

Nas redes sociais, na comunidade virtual denominada ‘Morro do Juramento’, que assim como a Pedreira, é dominada pela Amigos Dos Amigos (ADA), usuários fazem apologia ao crime, lamentam a morte de Playboy e garantem que vão vingá-lo. “A Pedreira vai dominar geral. Esperem e verão”, afirma um homem, ao comentar sobre uma suposta tentativa de invasão ao Morro do Chapadão, favela vizinha, dominada pela facção rival Comando Vermelho.

Segundo a Delegacia de repressão aos Crimes de Informática, a página está sendo analisada e os responsáveis sendo identificados. Os autores vão responder por apologia ao tráfico de drogas. A mãe do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, escreveu na noite de terça-feira uma mensagem no Facebook, na qual falava sobre a morte do filho, no último sábado. Ela agradeceu o apoio recebido de amigos e familiares e destacou que reprovava a escolha de Playboy de entrar no mundo do crime. “Não fazia parte e não aprovava a escolha dele, mas percebi o quanto era amado”, escreveu.


Últimas de Rio De Janeiro