Justiça nega a reintegração de posse de prédio ocupado por alunos da Uerj

No Facebook, o movimento estudantil criticou a criminalização da ocupação

Por O Dia

Rio - A reitoria da Uerj entrou com uma liminar pedindo a reintegração de posse do prédio ocupado por estudantes desde o dia 1º. A ação foi protocolada na 6ª Vara de Fazenda Pública, contra o Diretório Central de Estudantes (DCE).


A reitoria, que antes apoiava o movimento, alega uma “pretensa radicalização” dos estudantes como justificativa para o pedido. A administração afirma que os estudantes cometeram "esbulho, turbação, ameaça", com "posse e utilização de bens públicos"


Também nesta terça-feira, o movimento estudantil organiza o evento Ocupa Uerj, com shows de Teresa Cristina, Tico Santa Cruz e Moraes Moreira.


O diretor do DCE na UERJ, George William, disse que a ocupação vai continuar. "A gente já imaginava que isso poderia acontecer pela movimentaçã nos corredores. No entando, é suspreendente, porque em nenhum momento a gente tentou depredar a universidade, muito pelo contrário. Queremos mostrar que os estudantes merecem estar aqui, promovendo ciclo de debates, atividades culturais", afirmou.


No Facebook, o DCE da UERJ criticou a criminalização do movimento. "A criminalização do movimento estudantil não pode ser imposta, pois nosso objetivo deve sempre ser proteger o patrimônio de nossa universidade enquanto lutamos por nossos direitos", diz o texto.


No começo da noite, a juíza Ana Cecilia Argueso Gomes de Almeida, da 6ª Vara de Fazenda Pública da Capital, negou o pedido de liminar para reintegração de posse da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que está ocupada por estudantes desde o fim de novembro. A magistrada determinou que o caso seja encaminhado ao Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NUPEMEC) do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ)

Últimas de Rio De Janeiro