Protesto fecha antiga Rio-São Paulo

Moradores de Nova Iguaçu e Seropédica fecharam a rodovia e cobram melhorias. Pneus e madeiras foram incendiados

Por O Dia

Rio - Cerca de 200 pessoas interromperam o trânsito na antiga estrada Rio-São Paulo, a BR-465, em três trechos entre Nova Iguaçu e Seropédica, na Baixada Fluminense, por volta de 5h30 desta segunda-feira. O grupo protesta contra as péssimas condições de tráfego da estrada e pede melhores condições para quem vive na região.

GALERIA: Protesto fecha antiga Estrada Rio-São Paulo

Moradores reclamam das péssimas condições da antiga Rio-São Paulo e pedem serviços básicos para moradores do entornoLeitor Max Fernandes / WhatsApp O DIA

A rodovia foi fechada nos dois sentidos e o trânsito ficou complicado na região. Um trecho também é interditado na altura do município de Seropédica, na altura do km 10. Muitos carros estão voltando na contra-mão da rodovia. O trecho interditado na altura do km 20 já foi liberado por tropas da Força de Choque da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Entretanto, conforme são liberados alguns trechos, os manifestantes se descolcam para outros e voltam a fechar a rodovia.

Pneus foram queimados e entulhos jogados nas pistas da antiga Rio-São PauloLeitor Max Fernandes / WhatsApp O DIA

De acordo com a PRF, eles atearam fogo em madeira e em pneus. Também foram espalhados entulhos nas pistas para impedir a passagem de veículos. Policiais Militarese e bombeiros também foram acionados para o local.

Ônibus estariam sendo incendiados na rodovia, mas a PRF não confirma esta informação. Com o fechamento da rodovia nos dois trechos, a opção ao motorista é a Reta do Piranema, que foi outra via que apresentou fortes retenções. Essa via liga a antiga Rio-São Paulo à Estrada Rio-Santos. Helicópteros e motos são utilizados pela Polícia Rodoviária Federal e eles trabalham para desobstruir a via e liberar o tráfego de veículos.

Segundo o leitor Gilmar Rocha, muitos caminhões de grande porte passam no local e danificam as pistas. Gilmar diz que motoristas chegam a perder de 50 minutos a uma hora em um trajeto que dura cerca de seis minutos. "Não são buracos, são crateras. Já troquei dois pneus que rasgaram", disse através do WhatsApp do DIA (98762-8248). Ainda de acordo com o leitor, falta sinalização e orientação ao tráfego na região, que é "um caos sete dias por semana".

A PRF informou que muitos caminhões que vem de São Paulo pela Dutra utilizam a rodovia para cortarem caminho em direção à Costa Verde do Estado.

Entulhos foram colocados na pista da antiga Rio-São Paulo em protesto pelas péssimas condições da viaLeitor Gilmar Rocha / WhatsApp O DIA


Últimas de _legado_O Dia 24 Horas