Rampa da Paz na Chatuba é o novo point do voo livre

Fãs do esporte já podem saltar do local que deve ser inaugurado em janeiro. Outra boa notícia é o curso gratuito realizado no Parque Natural do Gericinó, em Nilópolis

Por O Dia

Rio - Os amantes do voo livre da Baixada Fluminense ganharam dois presentes neste Natal. Um deles é a Rampa da Paz que está sendo criada na Chatuba, em Mesquita, e o outro é o curso gratuito oferecido em Nilópolis pela prefeitura. A rampa de 180 metros está sendo usada improvisadamente e deverá ser inaugurada em janeiro. Cerca de 900 saltos profissionais já foram realizados.

O instrutor de voo Afonso Urbieta, 61 anos, foi quem descobriu o novo point. Com 34 anos de profissão, nove mil voos e 440 saltos em pára-quedas, Afonso é também o criador das rampa do Pico da Coragem de 500 metros, em Japeri, e da Serra do Vulcão de 850, em Nova Iguaçu, há mais de duas décadas.

O comerciante Luan Tavolaro realiza seu sonho. Após dois meses de curso%2C ele venceu o medo e saltou pela primeira vezFabio Gonçalves / Agência O Dia

“Ando por aí em busca de novos lugares. Vi a possibilidade na Chatuba, peguei um facão e fui fazendo a trilha. Quando cheguei no topo, confirmei que o lugar era realmente perfeito para voar", comentou Urbieta.

Segundo Urbieta, o local é o ideal para o primeiros voos dos alunos que sonham em chegar mais perto do céu. Ele informou que a Prefeitura de Mesquita vai melhorar o acesso ao local que ainda exige muito preparo físico dos atletas . "O deck está quase pronto. Acredito que poderemos inaugurar em janeiro", afirma o instrutor. O nome do local foi escolhido em homenagem aos seis meninos mortos na chacina realizada em setembro do ano passado.

Afonso, que dá aula particular e também é o instrutor do curso gratuito de Nilópolis, já conseguiu voar três horas e meia num salto da Rampa da Paz. “Dá para fazer voos pequenos e longos. Aqui é perfeito”, destaca.

Adrenalina

Aluno particular de Urbieta, o comerciante Luan Tavolaro, 25, morador do Centro de Mesquita, conseguiu realizar o sonho semana passada na Rampa da Paz. Após dois meses de curso, ele venceu o medo e saltou pela primeira vez.

“É uma liberdade maravilhosa. Ver a natureza lá de cima é muito incrível, estou em estado de êxtase", descreveu.

Para chegar à Rampa da Paz, é preciso ir por Edson Passos, entrar na Rua Itaqui e depois Rua Lídia. A inscrição para o curso em Nilópolis pode ser feita na Secretaria de Turismo, na Rua Antônio João Mendonça, 21. Centro. Tel.: 2791-2777.

Afonso Urbieta ensina a professora Ana Lucia a equilibrar o parapente para garantir salto com segurançaFabio Gonçalves / Agência O Dia

Números

9 Mil - É o total de voos do instrutor Afonso Urbieta, que também tem no seu currículo 440 saltos em pára-quedas. Afonso é também o criador das rampa do Pico da Coragem, em Japeri, e da Serra do Vulcão, em Nova Iguaçu, há duas décadas.

180 Metros - É a altura da Rampa da Paz, na Chatuba, que já funciona improvisadamente desde fevereiro. Cerca de 900 saltos foram realizados. Um deck será construído pela prefeitura como também uma nova estrada para melhor acesso ao local.

Técnica: Alunos devem treinar bastante e ter disciplina para saltar com segurança

Durante o curso, os alunos aprendem algumas técnicas fundamentais para saltar com segurança e também como guardar o parapente. De acordo com Afonso Urbieta, não abrir o ‘brinquedo’ em locais que tenham espinhos é uma delas.

“É sempre bom verificar para não ter furos”, destacou. Outro conselho é verificar se há gafanhotos quando for guardá-lo. “Temos que ser cuidadosos. Os gafanhotos furam os brinquedos que precisam estar sempre em bom estado”.

Para aprender a dominar o parapente, Urbieta dá outras dicas: disciplina e muito treinamento. Segundo ele, o aluno não pode faltar as aulas e, se possível, fazer horas extras. “Só com muito treino e determinação conseguimos vencer o medo e dominar a técnica”.

Curso gratuito de parapente em Nilópolis

Cinco alunos já estão aprendendo voo livre em Nilópolis. Inaugurado há três semana, cerca de 300 pessoas aguardam vaga no curso que, se fosse pago, custaria em torno de R$ 4 mil. As aulas estão sendo ministradas no Parque Natural de Gericinó às quartas-feiras e aos sábados, das 9h ao meio-dia. A duração é de em torno de três meses, de acordo com o rendimento do aluno.

Segundo a secretária de Turismo, Márcia Cristina Ferreira D'Anunciação, a prefeitura está providenciando a compra um novo parapente para ser usado no curso. O preço do 'brinquedo', como os praticantes do esporte costumam chamar, varia de R$ 2 a R$ 8 mil. “Estamos muito felizes em poder realizar o sonho dessas pessoas que não podem pagar pelo curso particular”, afirma a secretária de Turismo.

Além do curso de voo livre, a secretária planeja abrir uma pista de aeromodelismo no Parque do Gericinó. “Queremos colocar um quiosque com música ao vivo para que os visitantes tenham mais opções de lazer”, destacou.

O técnico de iluminação, Edinei José dos Santos, morador de Cabuis, Nilópolis, é um dos cinco alunos do curso. Edinei já pratica rapel e agora quer aprender a voar. "Gosto de altura, se Deus quiser vou conseguir”, afirma.

O serralheiro Maurício Pestana de Oliveira, 44, de Nova Cidade, foi um dos primeiros a se inscrever. “Passei em frente à secretaria e fiquei sabendo. Fiz a inscrição na hora", revela.

Últimas de _legado_O Dia na Baixada