Justiça nega pela terceira vez habeas corpus a agressor de festa na Gávea

Promotor de eventos é acusado de tentativa de homicídio qualificado e lesão corporal culposa contra três pessoas

Por O Dia

Rio - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou por unanimidade, nesta quarta-feira, pela terceira vez o pedido de habeas corpus ao suspeito de agredir três pessoas na Gávea, na Zona Sul, em junho do ano passado. O promotor de eventos José Phillipe Ribeiro de Castro teve prisão preventiva decretada após ser acusado de dupla tentativa de homicídio qualificado e lesão corporal culposa contra Ana Carolina Romeiro, Lourenço de Albuquerque Mayer Brenha e Gabriel Cunha da Silva.

José Philippe de Castro%3A acusado por agressões em festa na GáveaFabio Gonçalves / Agência O Dia

LEIA MAIS

Justiça nega habeas corpus a agressor de festa na Gávea

?Polícia Civil conclui inquérito sobre agressão durante festa na Gávea

?Agressor de festa na Gávea tinha certeza de impunidade, diz delegada

?Acusado de agredir casal em festa na Gávea tem oito passagens pela polícia

As agressões aconteceram na madrugada no dia 6 de junho, após José Philippe chegar em casa e seu irmão estar dando uma festa no local. A confusão começou após o promotor de eventos flagrar Gabriel Silva urinando em seu jardim. Testemunhas afirmaram que o agressor partiu para cima da vítima e cortou sua orelha. E Ana Romeiro foi ferida com um objeto cortante ao tentar socorrer o noivo. Além do casal, Lourenço de Albuquerque Mayer Brenha também foi agredido.

Últimas de Rio De Janeiro