Testemunhas depõem sobre vendas ilegais no 'Minha Casa Minha Vida'

Apartamentos do programa estariam sendo vendidos de forma ilegal. Próxima audiência será em maio

Por O Dia

Rio - O juiz Rafael Rezende das Chagas, da 1ª Vara Criminal de Bangu, na Zona Oeste, realizou audiência de instrução e julgamento, nesta quarta-feira, sobre o caso da venda ilegal de apartamentos do programa habitacional do governo federal “Minha Casa Minha Vida”. Foram ouvidas 21 testemunhas, entre elas, moradores lesados pelo esquema.

São réus na ação penal Bruno de Albuquerque Povoreli Ferreira e Diego Lázaro Mendes Moura, que não compareceu à audiência nem justificou a ausência, assim como o advogado de Bruno. O juiz determinou que a Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro (OAB-RJ) apure a responsabilidade profissional do advogado.

A próxima audiência de instrução e julgamento será no dia 9 de maio, às 14h30, para ouvir o restante das testemunhas. Em dezembro do ano passado, o processo foi desmembrado em relação aos acusados Maria da Paz de Souza da Silva e Lupérico Barbosa da Silva.

Últimas de Rio De Janeiro