Polícia investiga se morte de advogado foi latrocínio

Carlos Manuel Riomayor Ferreira foi assassinado com um tiro no peito dentro de casa

Por O Dia

Rio - A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) investiga se o advogado Carlos Manuel Riomayor Ferreira, de 50 anos, foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte). Ele foi morto após ser atingido com um tiro no peito dentro de casa, no Recreio dos Bandeirantes, terça-feira, por volta das 20h.

LEIA MAIS: Advogado é morto dentro de casa no Recreio

Testemunhas contaram que dois assaltantes invadiram a residência do advogado, que fica em um condomínio fechado na Rua Wilfred Penha Borges. Segundo as primeiras informações levantadas por agentes da DH, que fizeram perícia no local do crime, ao ser baleado, Carlos Manuel ainda conseguiu telefonar para o pai e avisar que foi atingido.

“Ele saiu pelo condomínio e procurou ajuda com vizinhos, que ligaram para o Corpo de Bombeiros e Samu, mas ele acabou não resistindo”, explicou o delegado Fábio Cardoso, titular da DH. Segundo ele, nada foi levado da casa, mas a primeira hipótese é latrocínio. “A DH está empenhada neste caso e o próximo passo agora é identificar os autores”, relatou Cardoso.

As investigações iniciais apontam, a princípio, que o advogado foi atingido por um disparo de revólver. No entanto, somente o laudo da necrópsia vai poder confirmar qual foi a arma usada no crime. Familiares foram até o Instituto Médico Legal (IML) para liberar o corpo da vítima. 

Últimas de Rio De Janeiro