Morre o terceiro metalúrgico envolvido em acidente na CSN

Dênis da Silva era um dos quatro operários que tiveram os corpos queimados

Por O Dia

Rio - O metalúrgico da Companhia Siderúrgica Nacional, de Volta Redonda, no Sul do Estado, Dênis da Silva, de 37 anos, morreu agora há pouco no Hospital Oeste D`Or, em Campo Grande. Dênis é a terceira vítima fatal do acidente ocorrido no dia 25 de março, no setor de Zincagem 1 da Usina Presidente Vargas, que deixou quatro operários gravemente queimados.

?LEIA MAIS: Grave incêndio na CSN deixa pelo menos quatro metalúrgicos feridos

Nesta quarta-feira, também não resistiu Renan Martins, de 29 anos, envolvido no mesmo acidente. Ele estava internado no mesmo hospital e chegou a ter uma das pernas amputadas. No dia 13 de abril, Wanderley dos Santos, de 38 anos, foi o primeiro dos quatro acidentados a morrer, também no Oeste D`Or. Ainda continua internado, no mesmo hospital, em estado grave, mas porém estável,Aluênio Francisco Alves, de 32 anos.

Morre o terceiro metalúrgico envolvido em acidente na CSNFrancisco Edson Alves / Agência O Dia

Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense ressaltou que o momento “é muito triste para a classe dos metalúrgicos”. “Só essa semana foram duas mortes. Estamos cobrando, insistentemente, da direção da empresa a melhoraria da segurança de trabalho”, garantiu o presidente do sindicato, Silvio Campos.

Tarcísio Xavier, da Oposição Sindical, voltou a criticar a “falta absoluta de política de segurança” para os trabalhadores, no interior da CSN. “Não estamos percebendo uma política que se preocupa com a saúde e as condições de trabalho dos metalúrgicos, conforme existia na época em que a empresa ainda era estatal e envolvia constantemente membros da Cipa. Agora, as demissões em massa (mais de mil funcionários teriam sido demitidos este ano) e a exigência de recordes de produção, têm se tornado o combustível para acidentes fatais, cada vez mais frequentes”, afirmou.

A direção da CSN lamentou a morte dos metalúrgicos, mas garante que cumpre todas as exigências de segurança pertinentes aos trabalhadores. A empresa informou ainda que está investigando as causas do acidente, que seria o quarto em menos de seis meses, no interior da usina.

Últimas de Rio De Janeiro