Pastor é indiciado por discriminação religiosa após destruir imagens de santos

Nos vídeos, o religioso chama as estátuas de 'imagens do demônio'

Por O Dia

Rio - Um pastor evangélico de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, publicou vídeos em que aparece destruindo imagens de santos nas redes sociais e foi autuado por discriminação religiosa.

Nos vídeos, o pastor chama as estátuas de "/imagens de demônios". As gravações foram entregues à polícia pela secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI) após denúncia. 

Nas investigações, agentes da 58ª DP (Posse) identificaram o pastor como Daniel Martins Francisco. Ainda de acordo com as investigações, as imagens que o pastor destruiu seriam de uma filha de santo que teria se convertido a religião evangélica.

O Daniel Martins Francisco foi indiciado com base na Lei de Racismo por discriminação religiosa e vilipêndio às imagens com pena de um a três anos de prisão. A policia Civil ouvirá ainda mais duas outras testemunhas e em seguida encaminhará o inquérito para o Ministério Público.

Conforme O DIA publicou nesta quinta com exclusividade, a Polícia Civil já indiciou pelo menos seis traficantes por destruição de altares de Umbanda e Candomblé. 

Alguns líderes evangélicos denunciaram que estão sendo perseguidos na internet sob a acusação, que negam veementemente, de estarem incitando depredações de casas de santo. Nesta sexta, o pastor da Igreja Assembleia de Deus Tempo de Restauração, André Assis, vai à delegacia para registrar as ameaças recebidas pelas redes sociais.


Últimas de Rio De Janeiro