Rogério 157 estava com bando que rendeu taxista, diz delegado

Bandidos podem ter sido baleados em confronto com PMs

Por O Dia

Rio - O traficante Rogério Avelino, o Rogério 157, estava com o bando que rendeu um taxista, na madrugada deste sábado, na Rua Jardim Botânico, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, de acordo com informações do delegado Carlos Rangel, titular da 9ª DP (Catete), que integra a força-tarefa na Favela da Rocinha.

Motorista de táxi foi feito refém por bandidosEstefan Radovicz / Agência O Dia

Segundo Carlos Rangel, além do líder do tráfico de drogas da comunidade outros três criminosos armados integravam o grupo. A partir de depoimento da vítima, a Polícia Civil identificou que o traficante Jaílson Barbosa Marinho, o Jabá, braço direito de Rogério 157, também estava no táxi.

Corpos seriam de traficantes ligados à Rogério 157 (foto)%2C mas que estavam tentando um "golpe de estado" na RocinhaReprodução / Divulgação

Por volta das 4h deste sábado, os bandidos armados de fuzis fizeram um taxista — que não teve a identidade revelada — refém na Rua Jardim Botânico. De acordo com o depoimento da vítima, eles ordenaram que o homem os levasse ao Horto e pegassem Rogério 157 e Jabá para levá-los novamente à Rocinha. No entanto, na entrada do Túnel Rafael Mascarenhas, os criminosos atacaram uma viatura da PM, que iniciou perseguição ao veículo.

O taxista conta que os criminosos seguiram atirando contra os policiais militares de dentro do carro. Próximo ao Túnel Zuzu Angel houve uma troca de tiros com a guarnição do Exército e os bandidos, segundo o depoimento, saíram do veículo atirando, perto de um dos acessos à Rocinha.

Os homens conseguiram fugir e a PM encontrou vestígios de sangue em um dos acessos à comunidade. Para Carlos Rangel, existe possibilide de que algum bandido tenha sido baleado no confronto. 

Fuzis apreendidos na RocinhaEstefan Radovicz / Agência O Dia

"Eles entram e saem da mata a todo tempo, eles não têm pra onde ir. Eles não têm apoio de nenhuma facção e estão sem local onde se abrigar", comenta o delegado. Segundo ele, o grupo do Rogério 157 rompeu com a facção Amigos dos amigos (ADA) e nesse momento que estão em meio à guerra, não conseguiram negociar nenhu apoio. 

"Se ele sair, perde domínio territorial. Se ele ficar pode ser preso, o que vai acontecer a qualquer momento. Ele não tem como resistir", afirma Carlos Rangel.

Motorista da Uber também é rendido

Cerca de 2h depois do incidente com o táxi, criminosos do mesmo bando, que estavam na mata do Horto, renderam um motorista da Uber na Rua Pacheco Leão, com a mesma ordem de seguir para a Rocinha. 

De acordo com a vítima, ele foi abordado por quatro bandidos armados, que obrigaram que ele seguisse para a comunidade. Segundo o delegado, em um dos acessos à favela, eles foram capturados por uma guarnição do Exército.  Não há informações sobre troca de tiros e feridos.

Ainda segundo o motorista do Uber, os criminosos disseram ter trocado tiros com PMs do Bope no Horto. Ao abordarem a vítima, eles disseram que "precisavam voltar à Rocinha". "Na hora da abordagem das forças de segurança, os bandidos disseram 'perdemos' e saíram do carro normalmente para não levantar suspeitas", contou o motorista. Após os militares encontrarem as armas, os quatro foram presos.

Bope recuperou o armamento após confronto com criminososDivulgação

Um outro bandido, que vinha de moto, conseguiu fugir. O fuzil dele estava na mala do carro e, por conta disso, o suspeito conseguiu escapar. Segundo o delegado Carlos Rangel, o homem é importante na hierarquia do bando do Rogério 157 e os comparsas que estavam no Uber eram seus seguranças.

Na ação, foram presos Vinicius dos Santos Mascarenhas, Thimaz Alves da Silva, Alexandre Castro Nascimento e Bruno Eduardo da Silva. A polícia apreendeu: uma pistola 9 mm, um fuzil AK-47, dois carregadores de pistola, quatro carregadores de fuzil, 18 munições 9mm e 80 munições 762mm, além de R$ 2.198 em espécie. 

Últimas de Rio De Janeiro