Ampla entra de vez na berlinda

Vereadores deram início a CPI para cobrar melhorias

Por O Dia

Niterói - Foi aberta na última semana uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a Ampla na Câmara Municipal de Vereadores. Cinco parlamentares, o Ministério Público, um especialista em engenharia elétrica da UFF, o sindicato dos eletricitários, a associação dos adquirentes da cidade e a OAB-Niterói vão questionar a qualidade do serviço que a concessionária vem prestando por aqui.

Autor do pedido e presidente da CPI, o vereador Leonardo Giordano (PCdoB) explica que o objetivo não é derrubar a Ampla, mas sim cobrar melhorias. “Também vamos cobrar o trabalho da Aneel, que tem a obrigação de fiscalizar as concessões de energia, mas não vemos isso por aqui”, diz.

Além dele, quatro vereadores compõem a CPI: o relatos Bruno Lessa (PSDB), Henrique Vieira (PSOL), Daniel Marques (PV) e Verônica Lima (PT). Todos contam com a participação da população para andar com o processo.

Para isso, haverá sessões públicas toda segunda-feira, às 14h, no plenário da Câmara. Na última semana cerca de 100 pessoas estiveram presente. “As principais reclamações foram de interrupções frequentes de energia, má poda de árvores e mal atendimento ao consumidor”, destacou Giordano.

Eles já pediram à Ampla o contrato integral de concessão, o organograma da empresa para saber quais serviços são terceirizados e o plano de equipes, para saber exatamente quantos funcionários atuam na cidade. E a concessionária foi convidada a participar da sessão de amanhã.

Em nota, a Ampla informou que mantém diálogo constante com as autoridades municipais e está à disposição da Câmara para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.

Novas reclamações também podem ser enviadas para o e-mail cpidaampla@gmail.com. A previsão de Giordano é que a CPI dure cerca de três meses.

Últimas de Rio De Janeiro