Por thiago.antunes

Rio - Imprescindível para a fiscalização do estado e 91 prefeituras, o Tribunal de Contas do Estado criou o Indicador de Risco de Irregularidades, espécie de bússola que identifica, por exemplo, contratos mais suspeitos de malversação de recursos públicos, com o cruzamento de informações de bancos de dados governamentais.

O Iris faz parte de nova estratégia de controle, que inclui reforço na equipe de auditores fiscais. A coluna torce para que a história da Corte marcada por denúncias de corrupção fique no passado.

Você pode gostar