Gilmar aproveita para espezinhar o desafeto O Dia - Política e País
01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Gilmar aproveita para espezinhar o desafeto

Por O Dia

Inimigo declarado de Rodrigo Janot, o ministro Gilmar Mendes elogiou o discurso de posse de Raquel Dodge e disse que ela certamente fará uma reanálise dos procedimentos tomados pelo antecessor, para evitar "erros e equívocos".

"Fiquei impressionado. Sua Excelência falou que vai dar continuidade ao trabalho de combate à corrupção, mas colocará outros temas também na agenda (a defesa dos direitos humanos, a questão da saúde, dos presos, a questão indígena). E enfatizou muito que as investigações devem ser feitas dentro dos devidos marcos legais. Acho que ela deu uma boa resposta", comentou.

Indagado se Dodge vai rever acordos, Gilmar disse que "certamente haverá revisões". O ministro é um dos mais duros críticos à delação de executivos do grupo J&F, que tem sido questionada pela defesa do presidente Temer.

"Certamente a procuradora-geral vai fazer uma reanálise de todos os procedimentos que estão ainda à sua disposição, de maneira natural, para certamente evitar erros e equívocos que estavam se acumulando", afirmou Gilmar.

"Tenho a impressão de que, ao fim e ao cabo, nós temos muitos tumultos, desacertos, esses episódios últimos envolvendo, por exemplo, a delação da JBS, creio que mostram bem isso. Umas certas trapalhadas, perplexidades, que resultaram em ineficiência do trabalho da própria Procuradoria-Geral da República", criticou Gilmar.