Feliz no palco

Por O Dia

Muitos brasileiros demoraram décadas para passarem a ouvir sertanejo de forma natural. Para Vanessa da Mata, que lança o DVD 'Caixinha de Música', gravado ao vivo no Natura Musical (São Paulo) e comemora 15 anos de carreira, o estilo musical sempre fez parte do dia a dia. A cantora, nascida em Alto Garças (MS), recriou como rock 'Vá Para o Inferno Com Seu Amor', modão de Milionário e Zé Rico, no show do DVD - em que também mistura o hit 'Love Will Tear Us Apart', da banda pós-punk britânica Joy Division.

"Fui conhecer Joy Division nos anos 1990, quando cheguei em São Paulo, até porque eu não conhecia muita gente. Não conhecia nem Bob Marley, que vim a conhecer quando cantei em grupo de reggae", conta ela, que também releu 'Natural Mystic', do cantor jamaicano, em 'Caixinha de Música'. "Na minha cidade só tinha uma rádio AM, o que chegava lá era sertanejo e música de novela. Meus tios caminhoneiros levavam música do país todo para lá. Tinha Pinduca (guitarrista paraense), música de duplo sentido. E o sertanejo dos anos 1970 e 1980".

SOM BAIANO

O repertório de 'Caixinha de Música' traz hits como 'Te Amo', 'Vermelho', 'Boa Sorte/Good luck' e 'Ai Ai Ai'. Mas investe numa raridade ('Boa Reza', que havia sido gravada por ela junto do grupo Almaz, com Seu Jorge e integrantes da Nação Zumbi, no álbum beneficente 'Red Hot Rio 2', lançado em 2011) e em quatro inéditas. Uma delas, 'Gente Feliz (Sinceridade)', parceria com a banda BaianaSystem, que recentemente tocou no Rock in Rio e no Lollapalooza deste ano.

"Conheci o som deles quando os vi em Minas Gerais e eles eram ainda uma banda relativamente pequena. Eu estava me maquiando no camarim e ouvi o som deles. Fiquei impressionada com a vibração e a força, me lembrou Chico Science e Nação Zumbi quando ouvi pela primeira vez", conta. "Me sugeriram o nome deles quando falamos de parcerias para o DVD, e falei: 'Lógico que sim!'". A parceria dela com o grupo aparece no show, sem a banda, e num extra do DVD, já com eles.

SÍTIO DO TOM

Um encontro informal com Daniel Jobim, neto de Tom Jobim, ajudou Vanessa e a banda do show - formada por Maurício Pacheco (guitarra, baixo, violão, programações eletrônicas, vocais e efeitos), Rodrigo Braga (teclado baixo synth e vocais) e Ruvício Santos (bateria, percussões, pads) - a ensaiarem o repertório de 'Caixinha de Música' no sítio de Tom Jobim. A construção fica em Poço Fundo, Região Serrana do Rio, e tem um estúdio. "Fiz as unhas com uma menina que é filha de uma amiga do Tom, conheci o pessoal que mora numa vila que surgiu de um pedacinho de terra que ele deu... Tem uma turma lá que via o Tom passeando de pijama na vila. Foi muito inspirador", conta Vanessa, que fez nascer lá músicas como a faixa-título. "'Caixinha de Música' é um nome importante para ilustrar o trabalho. Ele é introspectivo, mas é poético e afetivo".

BOM CONSELHO

"Se cuide para não ficar amargurado/Não seja o tipo que reclama/ E fica sentado", diz a letra de 'Gente Feliz'. Vanessa diz sentir necessidade de dar toques em letras de música, o que acaba acontecendo até em canções românticas. "O que eu posso, eu faço", conta ela, lamentando ver hoje radicalidades de todos os lados. "E elas geram discursos de ódio, barbáries, religiões radicais que tomam conta de gente que se sente abandonada. Isso acontece em lugares em que a educação está muito capenga", conta.

Galeria de Fotos

Capa do CD e do DVD da Vanessa da Mata Divulgação
Fotos do DVD "Caixinha de Música", da Vanessa da Mata Divulgação/Marcos Hermes
Fotos do DVD "Caixinha de Música", da Vanessa da Mata Divulgação/Marcos Hermes
Fotos do DVD "Caixinha de Música", da Vanessa da Mata Divulgação/Marcos Hermes
Fotos do DVD "Caixinha de Música", da Vanessa da Mata Divulgação/Marcos Hermes
Fotos do DVD "Caixinha de Música", da Vanessa da Mata Divulgação/Marcos Hermes

Comentários

Últimas de Diversão