De olho na história da primeira TV de rua

Documentário será gravado em Caxias, berço da TV comunitária

Por Aline Cavalcante

Equipe da produção do filme finaliza o trabalho no fim do ano. Já o lançamento deverá acontecer em 2019
Equipe da produção do filme finaliza o trabalho no fim do ano. Já o lançamento deverá acontecer em 2019 - DIVULGAÇÃO

Nos anos de 1980 nascia, em Duque de Caxias,a TV Olho, a primeira TV de rua do Brasil. Mais de 30 anos depois, a cidade voltará a ser palco deste fato histórico. Um documentário vai mostrar como era feita a transmissão e produção de conteúdo exibido diariamente no Calçadão de Caxias.

A motivação para gravar o filme surgiu quando Rodrigo Dutra fazia pesquisas para uma tese de mestrado. Com tanto material em mãos a ideia de contar a história parecia inevitável.

"Estava fazendo uma pesquisa para o meu mestrado e durante esse processo pude conhecer vários membros da TV Olho. Tive acesso também aos materiais que estavam guardados há mais de 30 anos. São 79 fitas VHS, de duas horas cada, com quase toda a programação que eles veiculavam em praça pública. Acabei encontrando várias fotografias deles trabalhando, fotografias do povo assistindo a programação e reportagens de jornais que repercutiram a novidade na época. Quando comecei não imaginei que viraria um filme, mas com tudo que descobri tinha que contar", disse o idealizador do projeto.

Na época, as transmissões aconteciam da seguinte forma: um telão era fixado em praça pública e a programação, produzida pela própria equipe da TV, era exibida em duas sessões. Centenas de pessoas eram reunidas ao redor da cabine onde a TV ficava, na Praça da Emancipação, a atual Praça do Relógio.

Um dos pontos interessantes do documentário é a participação de Francisco Carlos Damásio,um dos idealizadores da TV Olho, ao lado de Jorge Ventura, que também estará no filme. Os dois moradores da Baixada eram responsáveis pela programação.

"A TV Olho contribuiu para que novos atores pudessem experimentar e assim, democratizar a linguagem. Hoje, se a Baixada Fluminense é reconhecida por sua vocação audiovisual, esse DNA vem daquela época", ressaltou Rodrigo Dutra, que, além de idealizador, é roteirista e diretor desta produção.

O filme será inteiramente gravado, hoje, no local aonde as transmissões aconteciam na época. A gravação acontecerá em "plano sequência", a técnica de filmagem sem cortes, na qual a câmera não desliga. Depois de quase um ano de pesquisa e seis meses de pré - produção, o filme deve ficar pronto até o fim do ano. O lançamento está previsto para o primeiro trimestre de 2019.

Galeria de Fotos

Documentário será gravado em Duque de Caxias DIVULGAÇÃO
Equipe da produção do filme finaliza o trabalho no fim do ano. Já o lançamento deverá acontecer em 2019 DIVULGAÇÃO
Imagens mostram como as trnsmissões aconteceiam na época Divulgação/Acervo TV Olho

Comentários