Temer: 'Temos tendência para o autoritarismo'

Presidente garante que 'a caravana dos que tentaram parar o país está passando'

Por O Dia

O governador Geraldo Alckmin
O governador Geraldo Alckmin - Marcos Corrêa/PR

No dia em que 'comemorava' a Proclamação da República, o presidente Michel Temer (PMDB) disse ontem que o brasileiro tem tendência para o autoritarismo. "Se não prestigiarmos certos princípios constitucionais, nossa tendência é caminhar para o autoritarismo. Nós, brasileiros, temos tendência para a centralização", afirmou. O presidente foi a Itu para onde transferiu a capital do Brasil por algumas horas a fim de entregar o título de cidadão ituano ao empresário e amigo José Eduardo Bandeira de Mello, ex-sócio de escritório de advocacia na década de 1960.

Temer lembrou que, após a República, o país viveu longos períodos de conflitos que resultaram numa concentração de poderes, referindo-se à ditadura de Getúlio Vargas e à tomada do poder pelos militares em 1964. "Temos de governar com espírito de abertura, fazendo harmonia entre os poderes, com diálogo e respeito ao Legislativo e Judiciário, em diálogo com a sociedade."

Segundo Temer, o fato de ter transferido o governo para Itu tem uma simbologia, por ter se iniciado na cidade o movimento pela República, que considerou uma fórmula de impedir o movimento centralizador. "As pessoas ficam preocupadas com o que está acontecendo no Brasil. Nós sabemos que as instituições funcionam tranquilamente no país. A autonomia entre os poderes está havendo, e nós só fazemos reforçá-la. Tivemos várias contestações, vários eventos que tentaram paralisar o Brasil, mas a caravana foi passando."

Comentários

Últimas de Brasil