Pedala, Dilma!

Por O Dia

A ex-presidente Dilma Rousseff quer se candidatar ao Senado pelo PT de Minas. Ela deve voltar à terra natal e aproveitar o cenário a favor: há duas vagas para o Senado, o governador Fernando Pimentel fará campanha para ela, e Dilma deseja se vingar de Aécio Neves (que está em baixa), um dos principais articuladores de sua derrocada. Ela está no Rio desde segunda, reclusa no apartamento da mãe, na Zona Sul. Fez reuniões com grupo titulado 'Volta, Dilma', composto por intelectuais e parlamentares aliados. A ex-presidente tem até 7 de maio para transferir o título de Porto Alegre para BH. Aliás, Dilma quer pedalar em Ipanema a partir de hoje, se o tempo melhorar. A Coluna informa: vai dar praia.

Dança dos ministros

Temer decidiu demitir Luislinda Valois, ministra dos Direitos Humanos, e procura saída honrosa para a tucana baiana. A substituta deve ser uma deputada do PMDB, embora o PRB tente a vaga para Tia Eron, deputada federal licenciada e hoje secretária de Promoção Social de Salvador.

Mais peças

O ministro Antonio Imbassahy está de malas prontas para assumir o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União, e para seu lugar será confirmado o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), da tropa de choque do presidente no Congresso.

Articulou

Marun chegará ao Palácio para a Articulação Política com as bênçãos da base e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Desafeto

Hoje, Imbassahy não quer ir para a Transparência. Mas, fora do Palácio, deve aceitar o novo cargo, diz fonte do PSDB. Fabinho Ramalho, vice da Câmara, pediu sua cabeça.

Ninho news

Na medição de forças para a convenção do dia 12, o grupo majoritário do PSDB está com 60% dos delegados. Os outros 40% vão aceitar indicação de cargos na Executiva.

Sem apito

Um diretor da Funai apadrinhado da bancada ruralista da Câmara está na mira da Transparência e do Palácio. Ele tem intimidado funcionários e demite subordinados que não topam suas empreitadas na canetada.

Na pista

A chave está na ignição das patrulhas da PF do Rio de Janeiro, e a rota já traçada. Vem aí uma limpa no segundo escalão da Petrobras, da Alerj e do governo do Rio.

Palanque na TV

O episódio do ator Pedro Cardoso abandonando ao vivo o programa 'Sem Censura', na TV Brasil, seguiu um script. Ele disse que não participaria em respeito aos servidores em greve. Simpatizante do PT, o ator chegou cedo, conversou com grevistas, esperou o programa ir ao ar e fez discurso de cunho político atacando o governo. Sem Censura.

Cara-crachá

Direito de greve é constitucional. Mas nos bastidores o roteiro é outro. Os servidores querem aumento de salário o que é negado pelo governo pela contenção de despesas. O que irritou a turma também foi a implantação de ponto biométrico na emissora.

A Crítica

Filha de Luiz Carlos Prestes, a historiadora Anita Prestes, 81 anos, elogiou Marx e Lenin, mas chamou Gorbachev de incompetente e criticou o presidente Vladmir Putin. Foi em palestra sobre os 100 anos da Revolução Russa, na sede do Pátria Livre no Rio.

Sobrou para todos

Sobre o Brasil, Anita falou muito mal de Lula, Dilma e Temer. Disse que "os governos do PT fortaleceram os banqueiros, com Henrique Meirelles na presidência do BC".

Câncer em foco

Especialistas em oncologia de vários países esticaram o fim de semana para passeio no Rio. Eles participaram na sexta e ontem do V Congresso Internacional de Oncologia, promovido pelo grupo D'Or, para debater perspectivas da cura do câncer.

Alerta

Um dos módulos do Congresso foi Novembro Azul, mês de conscientização e alerta para os sinais e tratamento do câncer de próstata. Recentes pesquisas apontam que cerca de 95% dos casos só são detectados em estágio mais avançado da doença.

Comentários