Justiça exige explicações sobre a urna 7

Vasco tem 48 horas para apresentar comprovantes de pagamento de sócios colocados sob suspeita na eleição

Por ASSINATURA REPÓRTER ???????? ?

Coletiva do Presidente Eurico Miranda - 09-11-2017 - manhã - Sala de Imprensa de São Januário - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Coletiva do Presidente Eurico Miranda - 09-11-2017 - manhã - Sala de Imprensa de São Januário - Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br - Paulo Fernandes/Vasco.com.br

A juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, da 52ª Vara Cível do Rio, deu prazo ontem de 48 horas para o Vasco apresentar os comprovantes de pagamento de todos os associados que votaram na urna 7 sócios que se regularizaram no fim do prazo para que pudessem participar do processo. Também determinou que conste na ata da eleição de terça-feira que a urna está sub júdice, o que, no momento, impede a declaração de vitória de Eurico Miranda.

Na decisão da magistrada, também consta a necessidade de apresentação do caderno de votação da urna impugnada, com o nome dos 475 eleitores presentes à votação.

"Eu quero adiantar que todos os documentos que estão na decisão vão ser fornecidos, sem qualquer problema, além dos comprovantes de que o dinheiro está contabilizado. É o que vai acontecer", afirmou Eurico Miranda, em entrevista coletiva, em São Januário. Ele garantiu que o processo eleitoral "foi feito com a maior transparência, inclusive a apuração".

Ao falar sobre as supostas irregularidades nos cadastros dos sócios da polêmica urna, o atual presidente apresentou as fichas dos ídolos Edmundo, Pedrinho e Felipe. "Felipe: o seu endereço é a Rua General Almério de Moura 131, o endereço do Vasco. O telefone do cadastro também é do Vasco. É a ficha de ingresso do senhor Felipe (sócio benfeitor remido). Nem a ficha assinou", informou.

"O senhor Pedrinho está na mesma situação, nunca atualizaram. Pedrinho não tem CPF e não está assinado por ninguém. O Edmundo o endereço era o Vasco, mas atualizou recentemente. O pior de tudo, no caso do Edmundo, não tem assinatura dele nem do proponente. Absolutamente nada e mesmo assim não invalidou. Nem invalida. Isso é uma resposta a alguns casos de endereços e telefones", declarou Eurico sobre os ex-jogadores, que não estavam na lista dos 691 sócios que deveriam votar na urna.

POLÊMICA SEM FIM

Ao ser perguntado se não via erro mesmo assim, Eurico se defendeu: "Eu não sou obrigado, quando me associo, a dar meu telefone. Não sou obrigado a tornar meu telefone público. Estão partindo que o cadastro está irregular, e não está. Se falta uma coisa ou outra, não invalida".

A chapa 'Reconstruindo o Vasco', de Eurico Miranda, que tentava a reeleição, foi proclamada vencedora na madrugada de quarta-feira, com 2.111 votos, contra 1.975 da 'Sempre Vasco', de Julio Brant. Mas a oposição também chegou a comemorar e agora briga para anular os 475 votos da urna 7. Sem contabilizar a polêmica urna, Brant seria o vencedor do pleito com 1.935 votos, e Eurico o segundo, com 1.683.

Ao todo, 691 sócios poderiam votar na urna separada por decisão da Justiça. Desses, apenas 475 compareceram ao clube na terça-feira. Eles entraram no quadro social entre novembro e dezembro de 2015, limite para estarem aptos ao voto e, de acordo com a oposição, não houve comprovação de pagamento.

Comentários

Últimas de Esporte