Cacos de vidro e pregos para ferir patas

Por O Dia

Se por um lado o BAC comemora o fato de nenhum cão ter morrido em operação, o mesmo não se pode dizer dos feridos. Sim, eles também são alvos dos criminosos. As ameaças chegam por radiotransmissores, mas os bandidos criaram uma nova tática para acertá-los: passaram a jogar cacos de vidro e pregos no chão. Os objetos cortam as patas dos animais, que ficam fora do combate entre 15 e 20 dias.

Para protegê-los, a PM comprou sapatinhos emborrachados. O treino com o equipamento de segurança começa mês quem vem. "Eles dão muito prejuízo ao tráfico. As apreensões provam isso", explica o coronel Peixoto.

Os animais são atendidos na veterinária do BAC, comandada pelo major Luís Renato Veríssimo de Souza. O batalhão fica no 16º BPM (Olaria). Lá, tem toda estrutura para atender os peludos, até centro cirúrgico. A preocupação com a saúde dos cães é tanta que os veterinários cuidam até dos gatos que entram no BAC. "Eles comem ratos, que são nocivos aos cachorros", explica o comandante.

O BAC ficou mais conhecido depois da novela 'A Força do Querer', de Glória Perez, onde Paola Oliveira interpretou Jeiza, comandante da unidade na trama. Três cães do BAC se revezavam nas gravações.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro