ERROS E MAIS ERROS

Por O Dia

DESGASTE FÍSICO

O time começou a jogar muito cedo, no fim de janeiro, e já com partidas de mata-mata pela pré-Libertadores. Após a enorme maratona, foi nítida a queda de ritmo na reta final.

DEMORA NA RENOVAÇÃO

A indefinição na renovação dos contratos provocou enorme desgaste no vestiário. Líderes do grupo, como Luis Ricardo e Dudu Cearense, ainda estão com a situação indefinida. O primeiro chegou a ter o anúncio de renovação por dois anos, o que não se concretizou.

PRÊMIOS ATRASADOS

Num ano em que a diretoria honrou salários em dia, o atraso de bichos também causou problemas em momento de definição no Brasileiro.

SAÚDE DE ROGER

Artilheiro do time, o centroavante, em boa fase, teve diagnosticado um tumor no rim e ficou fora da reta final. Também houve atrito em relação ao pagamento da cirurgia.

ASSÉDIO A JOGADORES E PROTESTOS

Um dos principais nomes do time, Bruno Silva admitiu o assédio do Cruzeiro o presidente do clube mineiro até anunciou o acerto. Depois, surgiu o Inter. O desgaste com a torcida ficou evidente e Bruno chegou a ser vaiado e a sinalizar que estava indo embora.

MÁ FASE DE ATLETAS

Nomes de destaque na Libertadores e na Copa do Brasil, Rodrigo Pimpão e Guilherme caíram assustadoramente de rendimento no fim da temporada. E não tinham substitutos.

POUCAS OPÇÕES NO ELENCO

Jair sofreu para suprir ausências. E deixou isso claro em várias entrevistas. Os meias Marcos Vinícius e Valencia também oscilaram muito

FRACASSO EM CASA

Na reta final, o Botafogo sucumbiu no Nilton Santos. Nas quatro últimas partidas, perdeu três e empatou uma, incluindo a derrota para o lanterna Atlético-GO. O esquema ficou previsível e não havia alternativa, tempo e talento para mudá-lo.

Comentários