Manutenção é fundamental para a vida útil do veículo

Especialistas dão recomendações para que cliente preste atenção na compra e orientam checagem regular

Por O Dia

Rio - Uma boa manutenção é essencial em um usado. Segundo especialistas ouvidos, o ideal é providenciar uma revisão logo após a compra. “É recomendável efetuar uma revisão preventiva, onde são analisados pneus, óleo, água, é feito um check-up suspensão. Se tiver barulho, olhar o amortecedor”, orienta Rafael Figueiredo, da ML Figueiredo Pneus. Na teoria, um seminovo vendido por uma agência deve ser entregue em condições de uso. Mas nem sempre é assim na prática. “O cliente que acabou de adquirir um usado deve fazer uma revisão, porque nem os carimbos dados por autorizada garantem regularidade do veículo”, alerta Renato Coelho, da JPS Cetro Automotivo.

Quanto mais informações o consumidor souber sobre o veículo%2C menos vai gastar com manutençãoDivulgação

Quanto mais informações o consumidor souber sobre o seu veículo, menos dinheiro ele vai gastar com manutenção, porque vai saber o que deve ser feito a cada tempo e evitar intervenções desnecessárias. “Infelizmente, acontece a comunicação de falsos problemas em oficinas”, completa Renato Coelho. Hállam Costa, da Dinamicar Pneus, orienta o comprador a buscar as informações necessáriasa no próprio manual do carro. “O nosso veículo é como qualquer outro equipamento que a gente tem. Ele precisa de cuidado, precisa de conhecimento. E o conhecimento básico está no manual do veículo”, conta.

VIDA ÚTIL DOS COMPONENTES

Gilson Pereira, da Gilson Pneus, chama a atenção para a vida útil dos componentes do automóvel. “Para não ter problemas com o carro, a prevenção deve acontecer. Tem que fazer as manutenções básicas, de óleo, filtros, das peças que têm desgaste natural”, orienta.

Atento para a frequência das manutenções, Alan Gobbo, do Auto Center Qualidade Total, recomenda uma verificação do automóvel a cada 6 meses ou 10 mil quilômetros rodados. “O apropriado é fazer um trabalho preventivo e não o emergencial”, orienta o especialista, que recomenda ao proprietário obedecer as recomendaçoes que do manual. “É preciso saber o tipo de pneu, calibragem, óleo, as revisões. As pessoas só procuram a manutenção quando o carro apresenta problema”, critica. Ele informa, ainda, que sua loja apresenta demanda maior após chuvas, porque transitar nessas condições com pneus fora do estado de regularidade implica em problemas no freio, que não tem sua atuação tão eficaz como deveria. “A pessoa aparece aqui porque passou um susto”, observa.

PNEUS CALIBRADOS

Os pneus merecem atenção especial do motorista, que deve fazer a calibragem de todos eles ao mesmo tempo. Segundo Antônio Oliveira, da Dinamicar, a frequência deve ser uma vez por semana, se o conjunto estiver frio. “O proprietário sai de casa e roda no máximo um quilômetro, em busca de um posto, para fazer o processo. Essa frequência é ideal para quem usa o automóvel diariamente”, recomanda. Para consultar a calibragem ideal, observe na coluna da porta do motorista (ou na tampa do reservatório de combustível): um adesivo traz a tabela com os valores, para o veículo vazio e cheio (passageiros e bagagem, situação comum em viagens). 

Ainda na questão do período, Felipe Henriques, da Epneus Bosch Car Service, recomenda que de três em três meses o carro seja levado à oficina, para o alinhamento. Uma vez desalinhado, o veículo pode provocar desgaste irregular dos pneus. Ele ainda recomenda para a troca de filtro do ar-condicionado, de 10 a 20 mil quilômetros que evita doenças respiratórias e trabalho forçado do compressor.

Últimas de Automania