Chuva na Grande São Paulo deixa mortos e  desaparecidos

Foram registradas, até agora, quatro mortes em Mairiporã, nove em Francisco Morato e outras duas em Guarulhos

Por O Dia

São Paulo - Ao menos 15 pessoas morreram e 13 ficaram feridas na Grande São Paulo por causa dos efeitos da forte chuva que cai desde a quinta-feira. Em Francisco Morato, deslizamentos deixaram nove mortos durante a madrugada desta sexta-feira, também segundo os bombeiros. As vítimas estavam em imóveis localizados na Rua Irã, no Jardim Santa Rosa, e na Rua Raul Pompeia, no Jardim Santo Antônio. Outras duas vítimas foram socorridas. Os bombeiros continuam nos locais tentando localizar mais vítimas que estariam soterradas.

O centro do município de Franco da Rocha encontra-se alagado devido à chuvaDivulgação/Defesa Civil-SP

A Defesa Civil de Francisco Morato informou que há, no mínimo, 15 pontos com risco de desabamento na cidade. O centro está alagado, e os trens da Linha 7-Rubi, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), não circulam por causa da água que invade os trilhos.

Em Caieiras, a Defesa Civil disse que há mais de 30 deslizamentos de terra, porém, nenhuma vítima fatal e nenhum desabamento de casa. Todavia, diversas residências estão inundadas. O centro e os bairros próximos são as áreas mais prejudicadas pelas chuvas.

Ceagesp

Em nota, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) informou, que a chuva registrada durante a noite de quinta e madrugada desta sexta-feira na capital paulista provocou alagamentos em algumas áreas internas do Entreposto Terminal São Paulo (ETSP). A situação, porém, já está normalizada e não há registro de vítimas, segundo a companhia.

A Defesa Civil interditou imóveis em Franco da Rocha devido ao risco de mais deslizamentos por causa da chuvaDivulgação/Defesa Civil-SP

Antes das 9h, as entradas pelos portões 3, 13 e 14 foram reabertas ao acesso dos veículos para as atividades normais do mercado. A única área que ainda está interditada é a do Pavilhão das Melancias, que passa por limpeza. "Todos os produtos que foram atingidos no alagamento estão condenados e já estão sendo eliminados", informou a Ceagesp, que não divulgou volume e valor de perda.

Aeroportos

O Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, ficou fechado para pousos e decolagens das 23h50 até as 6h06. A forte chuva alagou parte da subestação de energia do local e causou falta de luz em parte das pistas. O prédio principal e os saguões não foram afetados. Pelo menos 12 voos foram remanejados para outros aeroportos e outros seis foram cancelados, informou o terminal.

O Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, não teve o funcionamento afetado pelas chuvas, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Ele opera das 6h às 23h diariamente.

Previsão

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) afirmou que não há mais pontos de alagamentos intransitáveis em São Paulo. O CGE também disse que a chuva forte segue agora em direção ao Rio de Janeiro. A previsão do tempo, segundo o órgão, é de chuviscos ao longo do dia em toda a capital paulista, mas nada semelhante ao temporal desta quinta-feira.


Últimas de Brasil