Ronaldo Fenômeno é homenageado no Museu de Cera em Aparecida

Inaugurado nesta terça-feira, local reúne 61 estátuas de personalidades, como o do ex-jogador

Por O Dia

Rio - O ex-atacante Ronaldo Fenômeno revelou nesta terça-feira, em Aparecida (SP), que sua fé na Padroeira do Brasil lhe deu esperança e garantiu sua volta aos gramados. Ele se referiu às três graves lesões nos joelhos, no início dos anos 2000. A declaração do agora empresário foi feita durante a inauguração, nesta terça-feira, do Museu de Cera do Santuário Nacional. O ‘papa’ do futebol da década passada é uma das 61 personalidades representadas em estátuas de tamanhos naturais, instaladas em 20 cenários diferentes, criados por artistas dos Estados Unidos, França e Inglaterra.

“Os homenageados (que incluem papas, bispos, padres, personalidades e políticos) são pessoas que ajudaram ou ajudam a consolidar a história de Nossa Senhora Aparecida e a propagar a fé por Ela”, justificou cardeal arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno.

Estátua de Ronaldo é mais magra e 10 cm mais alta que ele. Tem um joelho de cera nas mãos%2C para lembrar sua ida ao santuário em 2002 Thiago Leon / Divulgação Museu de Cera

Ao ver sua estátua, bem mais esbelta e aproximadamente dez centímetros mais alta que ele, Ronaldo brincou: “Estou bonito”, arrancando gargalhadas. Em seguida, em tom emocionado, o ilustre devoto relembrou da luta para se recuperar de várias cirurgias e encarar com firmeza os prognósticos médicos, que apontavam como certa sua aposentadoria precoce no futebol.

“Esse boneco de cera representa muito para mim e reforça minha fé em Nossa Senhora. Estou muito orgulhoso. Espero que os fiéis, quando olharem para ele (o boneco), lembrem da fé que tive, ao acreditar na sua proteção”, disse o ex-atleta, que ainda fez comentário sobre a atual crise política brasileira. “Vivemos tempos difíceis. As pessoas perdem a fé. Isso não é a solução”, aconselhou.

Em 2002, antes da Copa do Mundo, levando uma camisa da Seleção e um joelho de cera, Ronaldo foi ao Santuário Nacional para pedir à santa a recuperação dos joelhos, que tinham sido operados, na expectativa de disputar o Mundial, o que os médicos davam como impossível na época.

O ex-jogador, aos 25 anos, acabou não só indo à Copa do Japão\Coreia, como também foi o artilheiro da competição como oito gols. De quebra, ainda levou dois prêmios consecutivos de melhor jogador do mundo pela Fifa.

'Estive com Ela no espaço'

Cada estátua de cera custou cerca de R$ 150 mil (R$ 9,1 milhões no total). O museu foi construído com apoio de uma empresa de turismo, em um espaço de quase seis mil metros quadrados, no pátio do Santuário Nacional, ao lado do Centro de Apoio aos Romeiros. Entre os homenageados presentes ontem estava também o paulista Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro a ir ao espaço, na Missão Centenário, em 2006, quando ficou dez dias em órbita.

“Minha fé em Nossa Senhora vem desde criança, quando minha mãe me trazia à Basílica. No espaço, estive com Ela, tenho certeza. Espero que os jovens, ao olharem minha estátua, reflitam como é importante estudar também para alcançar o sucesso”, comentou Pontes.

O museu funciona de segunda à sexta-feira, das 9h às 18h; aos sábados das 7h às 19h, e domingos e feriados das 7h às 18h. O valor da entrada é R$ 24 e o visitante não tem limite de tempo para permanecer no local. Há desconto de 50% para idosos, estudantes, e portadores de necessidades especiais.

Últimas de Brasil