'Não dá para votar num cidadão sem saber se ele é raposa ou não', diz Lula

Segundo os organizadores, participaram do evento, realizado na Estação da Música, 5 mil agricultores familiares

Por O Dia

Rio - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado, 19, em Feira de Santana, na Bahia, durante evento de sua caravana pelo Nordeste, que "não é possível" o eleitor reclamar dos políticos e "na hora do voto colocar uma raposa lá dentro do galinheiro". No mês passado, o petista foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. Ele se diz inocente.

"Não é possível a gente passar o ano inteiro falando que tem que melhorar e na hora do voto colocar uma raposa la dentro do galinheiro. A gente precisa ficar mais esperto. Não dá para votar num cidadão sem saber se ele é raposa ou não", disse Lula durante um ato do Fórum Baiano de Agricultura Familiar.

Segundo os organizadores, participaram do evento, realizado na Estação da Música, 5 mil agricultores familiares. Vestindo chapéu de couro e jaleco de boiadeiro, Lula pediu aos eleitores que votem com mais "consciência" para afastar as "raposas" da política. O petista afirma que será candidato a presidente da República em 2018. A condenação de Moro aguarda julgamento no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) e, se confirmada a sentença no caso do triplex, ele ficará inelegível.

Réu em outros cinco processos da Lava Jato e seus desdobramentos, Lula disse que as denúncias não vão impedi-lo de rodar o Brasil para fazer política. "Não sou daqueles que, quando aparece denúncia, colocam o rabo entre as pernas e vão embora. Vou cobrar que eles apresentem provas", disse o ex-presidente. "Sou temente a Deus. É a única coisa a que sou temente. Não sou temente aos homens", afirmou o petista. A caravana do ex-presidente vai percorrer 25 cidades nos nove Estados do Nordeste - ela foi iniciada na quinta-feira, 17, em Salvador, e termina no dia 5 de setembro em São Luís.

Desculpa por palavrão

Pela manhã, o petista participou de um evento com mais de 60 prefeitos de cidades do interior baiano. Na plateia havia políticos de partidos como PMDB e DEM, que apoiaram o impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff e integram a base do governo Michel Temer. Lula usou um palavrão para criticar a situação econômica do País.

"Este País é grande demais. Este País não nasceu para ser a m. que é", disse o ex-presidente que logo em seguida tentou se desculpar. "Desculpe aí o pessoal que está gravando."

Apesar das críticas, os prefeitos formaram uma fila de quase uma hora para tirar fotos com o petista. Um prefeito do PMDB que pediu para não ter o nome divulgado explicou tanta admiração. Segundo ele, Lula é muito admirado no Nordeste e pode ser um grande cabo eleitoral para 2018.

Últimas de Brasil