DVD 'Loucura', de Adriana Calcanhotto, não vai ter show ou turnê

Trabalho em que repassa sucessos de Lupicínio Rodrigues é como um filme para a cantora

Por O Dia

Rio - ‘Loucura’, DVD em que Adriana Calcanhotto repassa sucessos e raridades do conterrâneo (e centenário) Lupicínio Rodrigues, é um “filme” para a cantora. É assim que ela se refere à gravação do show que fez em dezembro no projeto Unimúsica, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e que sai agora. Tanto que o projeto não vai para os palcos.

Cantora quis 'desaparecer' e deixar a obra de Lupicínio falarAndré Mourão / Agência O Dia

“Não daria para repetir certas cenas. Os músicos estariam ocupados e não substituiria ninguém”, diz a cantora, que contracena com uma cadeira e se joga no chão enquanto canta ‘Volta’ de maneira tão espontânea que ela chega a deixar quase o microfone cair em seu rosto. E ainda dá um susto no violonista baiano Cesar Mendes por causa da aparição de seu diretor Jorge Ribeiro em pleno show, varrendo o palco.

“O Cesinha teve um troço, achou que o Jorge estava louco! E ele, além de amontoar mesas, varreu no tempo da música”, brinca Adriana, acompanhada por César, Dadi Carvalho (violão), Jessé Sadoc (trompete e flugelhorn) e Alberto Continentino (baixo), além das participações de Arthur de Faria (acordeom), Cid Campos (violão e dobro) e de Nestrovski.

O repertório inclui músicas carregadas de ironia como ‘Cadeira Vazia’, ‘Se Acaso Você Chegasse’ e ‘Judiaria’. Em ‘Nunca’, já gravada por mais de 30 cantoras, os versos aparecem no masculino, como se cantados pelo próprio Lupicínio (“saudade/diga a essa moça, por favor”). “Minha ideia era desaparecer. Era o Lupicínio que estava ali”.

Nos extras, duas raridades do compositor: o engraçado samba ‘Quindim de Mulher’, composto por ele em 25 minutos durante uma ida ao programa do apresentador Flávio Cavalcanti, e uma versão funk da carioquíssima ‘Cenário de Mangueira’.

Últimas de Diversão