Jeferson Kim, de ‘A Regra do Jogo’, está em peça com tema gay

No espetáculo, o ator faz um ex-garoto de programa, namorado do dono da sauna gay

Por O Dia

Rio - Do capanga malvado da novela das 21h ‘A Regra do Jogo’ ao sensível garoto de programa da peça ‘Em Nome do Filho’, o ator Jeferson Kim mostra versatilidade. “Na trama, eu era um dos capangas da facção. Foi uma escola. Imagina estar no núcleo do Tony Ramos, Jackson Antunes e José de Abreu?”, lembra Kim.

O ator Jeferson Kim e o autor e ator Guilherme Oliveira no espetáculoDivulgação

No espetáculo, o ator faz um ex-garoto de programa, namorado do dono da sauna gay, que é cenário da produção. “Contraceno com o Guilherme Oliveira, que faz o Liuba. Ainda é um universo marginalizado, mas não tem essa coisa só de submundo. Muitos fazem faculdade e fazem programa, só pela grana mesmo”, diz.

A montagem tem texto de Dolores DelRio, nome artístico do autor e ator Guilherme Oliveira, e fica em cartaz até 18 de junho no Espaço Cultural Correia Lima, no Catete. A história fala de solidão, dos encontros e de amor. “O foco da trama é o encontro do dono da sauna com o filho que ele perdeu contato e que anos depois acaba indo fazer programa lá ”, conta o autor.

Na encenação, Liuba, vivido por Guilherme/Dolores, carrega como o artista, a dualidade no nome. “É um nome andrógino. Se Liuba é gay? Talvez. É livre. No momento se relaciona com um homem. A inspiração para nomear o personagem veio de uma peça do autor russo Anton Tchecov”, esclarece.

A escolha do nome artístico de Guilherme também é curiosa. “Fiz um espetáculo em que meu personagem chamava-se Dolores DelRio, uma homenagem à atriz mexicana do cinema mudo. Passei a usá-lo. Sou um ator, posso ter o nome que quiser. Não curto rótulos”. Na peça são vistos tipos característicos de gays que frequentam esses lugares. “Quis mostrar o lado obscuro e o humano. Tem a busca por prazer, por companhia e, para alguns, até de amor. Já conheci gente que saiu da sauna e se casou”, revela Guilherme.

Últimas de Diversão