Peça ‘Nós’ discute violência, diversidade e intolerância atuais

Espetáculo do grupo Galpão estreia sexta

Por O Dia

Rio - Uma existência de 34 anos com fôlego de iniciante para o trabalho. Essa continua sendo a levada artística do Grupo Galpão, umas das companhias de teatro mais importantes do país. Em ‘Nós’, espetáculo que estreia sexta-feira, no Teatro Sesc Ginástico, Centro do Rio, os atores estarão em cena celebrando a vida, preparando uma sopa e debatendo questões como a intolerância, a violência e a diversidade. “Nós temos nossas perplexidades, questões, angústias, algumas esperanças e muitos nós. As reflexões sobre esses assuntos estarão no palco”, diz o ator Eduardo Moreira que, junto com o diretor Marcio Abreu, assina a dramaturgia da peça.

Os atores do Grupo Galpão em cena preparando a sopaGuto Muniz

Abreu conta que não teve dúvidas quanto à abordagem na parceria com a companhia. “É um trabalho político no sentido amplo. Do que é público, do que é privado. De quem está incluído e de quem está excluído. Não levantamos bandeiras no espetáculo. Não é partidário. Estamos vivendo uma miséria no Brasil na forma como nossos políticos entendem seu papel. Vivemos um golpe sujo. Na peça exercitamos a reflexão, são muitos os caminhos. O sentido político é um exercício muito maior e meu trabalho nos últimos anos tem essa dimensão”, afirma.

O diretor destaca que o espetáculo não coloca situações baseadas em eventos reais ou específicos. “As questões estão ali. Muda quem assiste e que questões ele traz para troca. Tem uma cena em que uma pessoa é colocada para fora. Bom, não é sobre impeachment, mas pode surgir essa reflexão por conta do nosso momento. É claro que, se houve um atentado em Orlando ontem e você for assistir à peça hoje, a discussão sobre violência, preconceito, vai estar lá. A peça também tem essa função de entender a relação das pessoas com esse espaço do teatro, e se o palco é um espaço de poder ou de troca”. 

Últimas de Diversão