Comércio aposta nos Jogos

Produtos que encalharam na Copa do Mundo serão vendidos na Olimpíada do Rio

Por O Dia

Rio - A pouco mais de um mês para a Olimpíada, o comércio do Rio espera vender produtos verde e amarelo que ficaram encalhados durante a Copa do Mundo. O setor varejista carioca apostará suas fichas no estoque feito para o mundial de futebol em 2014 mas que devido à eliminação da Seleção Brasileira por 7 a 1 para os alemães resultou em R$ 5,7 milhões parados nos depósitos. São camisetas, cornetas, canetas, chinelos, caneca, bonés, cofre bola, bandeiras para carros, linhas pet e outros itens temáticos e não temáticos verde e amarelo. A esperança é que os Jogos do Rio aqueçam as vendas em 5% na cidade.

Um estudo do Clube dos Diretores Lojistas do Rio (CDLRio) mostrou que somente em uma loja mais de 1,8 mil bolas ficaram encalhadas, cerca de 65% dos produtos que seriam usados, e em outro estabelecimento 130 mil uniformes não saíram das prateleiras, 50% do que o lojista esperava vender. As peças que menos saíram foram canetinhas, chaveiros e botons, representando quase 80% do estoque.

PÚBLICO DIFERENCIADO

Uma das vantagens é que, diferente da Copa, em que as partidas foram realizadas em todo o país, os Jogos se concentram no Rio, além de ser um público diferenciado”, afirma Aldo Gonçalves, presidente do Clube dos Diretores Lojistas do Rio.

A pesquisa do CDL-Rio revelou ainda que mais de 70% dos empresários do ramo informaram que artigos esportivos (camisas temáticas, calções, bonés, bolas, buzinas, bandeiras), calçados (especialmente tênis), brinquedos (bonecos alusivos aos Jogos Olímpicos) e artigos de decoração (papelaria) devem ser os produtos mais vendidos no período. Para Aldo, os lojistas embarcaram no clima da Olimpíada e estão otimistas com as vendas.

Em relação às vendas conforme a localização dos estabelecimentos comerciais as lojas do Centro (27,6%) serão os que mais venderão, seguidas da Zona Sul (25,3%), Zona Norte (24,1%) e os da Zona Oeste (23%).

Últimas de Economia