Trabalhadores podem sacar abono do PIS/Pasep a partir desta quinta-feira

Governo destina R$ 14, 8 bi para pagar R$ 880 a mais de 22 milhões de segurados. Confira o calendário

Por O Dia

Brasília - Mais de 22 milhões de trabalhadores e servidores públicos poderão sacar o abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), referente ao ano-base 2015, a partir de hoje. A estimativa é que sejam liberados R$ 14,8 bilhões para pagamento do benefício de R$ 880 correspondente ao calendário 2016/2017.

Quem nasceu entre julho e dezembro recebe o abono neste ano e de janeiro a junho, no primeiro trimestre de 2017. Em qualquer situação, o recurso ficará à disposição do beneficiário até 30 de junho de 2017, prazo final para o saque. (Confira o calendário ao lado).

Confira o calendárioArte O Dia

Este ano entraram em vigor novas regras aprovadas pelo Congresso para o pagamento do abono. As determinações associam o valor do benefício ao número de meses trabalhados no exercício anterior, ou seja, quem trabalhou um mês no ano-base 2015 receberá 1/12 do salário mínimo, e não mais 100% como determinava a regra vigente até junho.

Confira o calendárioArte O Dia

O pagamento do PIS é feito na Caixa Econômica e lotéricas a trabalhadores da iniciativa privada. Para correntistas, o crédito cai direto em conta e quem não é pode sacar em uma agência ou casa lotérica, desde que apresente documento de identificação válido com foto. Já o Pasep é pago diretamente por meio de crédito em conta no BB aos servidores públicos.

Já os trabalhadores que perderam o prazo para sacar o abono salarial de R$880 referente ao ano-base de 2014, terão de hoje até o dia 31 de agosto nova chance para retirar o benefício. Na última sexta-feira, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, formalizou a prorrogação do prazo para nova chance de saque.

Taxa de desemprego

Confira o calendárioArte O Dia

Brasil perdeu 91.032 vagas de trabalho com carteira assinada no mês de junho, apontou levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado ontem. O resultado é pior que o registrado em maio , quando foram fechados 72.615 postos de trabalho.

Últimas de Economia