ONGs reforçam pedido de cancelamento do GP do Bahrein de Fórmula 1

Violações aos direitos humanos estariam acontecendo no país

Por O Dia

Bahrein - Um grupo de ONGs pediu a suspensão do Grande Prêmio do Bahrein de Fórmula 1, em resposta as violações aos direitos humanos que estariam acontecendo no país, informou nesta quarta-feira o Centro Bareinita para os Direitos Humanos. A organização divulgou uma carta, reforçando pedido feito em 14 de janeiro deste ano ao presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, pela suspensão da prova.

O Ex-diretor executivo da Ferrari e atual presidente da FIA%2C Jean Todt%2C enfrenta a primeira polêmica da temporada Divulgação

O objetivo do Centro é conseguir que a entidade esportiva verifique o impacto que a corrida tem na degradação dos direitos humanos no reino. A ONG divulgou que passados quase dois meses do primeiro contato, a FIA não divulgou nenhuma resposta ao pedido dos grupos humanitários. Na carta, é destacado que há relação direta entre o GP de Fórmula 1 e a intensificação da repressão contra os manifestantes antes e durante a disputa da prova.

Entre os atos contestados estão a prisão de opositores e o uso desproporcional de gás lacrimogêneo. Em 2012, no primeiro dia de atividade nos circuito de Sakhir, as forças de segurança locais mataram o opositor Salah Abbas Habib.

"A FIA tem a responsabilidade ética e moral única de salvaguardar a integridade e a reputação do esporte a motor no mundo todo, mediante o cancelamento do Grande Prêmio de Fórmula 1 do Bahrein até que tais abusos deixem de existir", diz o texto.

A prova no reino está marcada para o dia 6 de abril, e será a terceira da temporada 2014 do Campeonato Mundial da categoria.

Últimas de Esporte