TJ não recebe pedido de habeas corpus e Jobson completa um mês preso

Ex-Botafogo responde pelo crime de estupro de vulnerável e se envolveu em um grave acidente de carro, em junho, que deixou uma vítima fatal

Por O Dia

Tocantins - O ex-Botafogo Jobson completou um mês preso, em Tocantins, por não cumprir determinações da justiça, enquando estava em liberdade condicional. O jogador responde pelo crime de estupro de vulnerável. No mês de junho o atleta ainda se envolveu em um acidente de carro, que causou a morte de uma pessoa.

Jobson completou um mês na prisãoBruno de Lima

De acordo com o Tribunal de Justiça do Tocantins, a defesa de Jobson ainda não pediu habeas corpus para o jogador. O advogado Paulo Ricardo informou que o pedido foi realizado na última terça-feira e que pode aparecer no sistema ainda esta semana.

O jogador responde pelo crime de estupro de vulnerável. Em junho do ano passado o atacante foi preso, mas obteve liberdade provisória em setembro do mesmo ano, após pagar uma fiança no valor de R$ 22 mil. Além disso, ele também concordou em não manter contato com as vítimas e não frequentar bares e boates.

A liberdade provisória do jogador inclui o cumprimento de algumas medidas cautelares, como não beber e usar quaisquer drogas. Entretanto, no dia 2 de junho, o jogador se envolveu em um grave acidente de carro e no veículo foram encontradas garrafas de bebidas. O incidente deixou uma vítima fatal e o atacante deixou o local sem ser avaliado pelos médicos.

O jogador ainda está impedido de atuar no futebol, pela Fifa, até 31 de março de 2018. Ele foi acusado pelo clube Al Ittihad, da Arábia Saudita, de se recusar a fazer exame antidoping.

Últimas de Esporte