Sem lar, Flamengo já viajou o equivalente a ir para a China

Rubro-Negro já passou por dez cidades diferentes pelo Brasileiro e Copa do Brasil

Por O Dia

Alagoas - Até onde o torcedor rubro-negro seria capaz de ir para ver seu time jogar? Se o mais fanático deles quisesse seguir sua paixão nessa temporada, certamente iria parar na China. Explica-se: sem um estádio para mandar seus jogos no Rio de Janeiro, o Flamengo tem uma desgastante rotina de viagens. Após percorrer dez cidades diferentes, entre jogos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro, o time acumula cansaço, poucos treinos e uma bagagem de mais de 17 mil quilômetros rodados, rodagem suficiente para realizar um voo entre o Rio de Janeiro e Pequim.

Mano ainda não comandou o Fla no Rio de JaneiroUanderson Fernandes / Agência O Dia

A jornada rubro-negra nas duas competições nacionais começou no dia 3 de abril, quando o Flamengo venceu, por 1 a 0, o Remo, em Belém. De lá para cá, o grupo visitou as cidades de Volta Redonda, Juiz de Fora, Campina Grande, Joinville, Florianópolis, Criciúma, Uberlândia, Brasília e Arapiraca, onde jogou na noite de quarta-feira passada contra o ASA, totalizando 11 jogos, com uma campanha de seis vitórias — cinco pela Copa do Brasil — três empates e duas derrotas.

A grande quilometragem fez a quantidade de treinos e tempo de recuperação entre os jogos fossem reduzidos, dificultando a busca de Mano Menezes pelo time ideal. Além de retardar o trabalho do técnico, as inúmeras viagens também deixaram o clima pesado entre os jogadores, que reclamaram do grande desgaste. A queixa mais polêmica foi a do goleiro Felipe, que usou palavrões em uma rede social para reclamar do período de 15 dias fora do Rio, antes dos jogos contra Coritiba, em Brasília, e contra o ASA, no interior de Alagoas.

VIAGEM CANCELADA

Por causa das manifestações em Maceió, o Fla não conseguiu cumprir o seu planejamento e retornar, quinta, a Brasília. A delegação viajará hoje para a capital federal, onde realiza o clássico com o Vasco, no domingo.