Willian Arão celebra evolução e se desafia: 'Não sei o limite do meu futebol'

Capitão do Flamengo, volante comemorou boa fase em campo

Por O Dia

Rio - Willian Arão chegou ao Flamengo no início do ano e aos poucos conquistou seu espaço dentro do grupo. Com apenas 24 anos, o volante mostra experiência dentro de campo e já se tornou um dos líderes do time rubro-negro - inclusive tem ostentado a braçadeira de capitão desde a chegada de Zé Ricardo ao comando. Feliz com a melhora de seu desempenho, o jogador celebrou a boa fase e projetou momentos ainda melhores.

"Se você pegar os números, eu sou o jogador que mais desarma, que mais acerta passas, sou o jogador que mais dá assistências, faço gols. São muitas coisas minhas que melhorei, que eu sabia que tinha que melhorar. Márcio Araújo, Alan Patrick vêm fazendo grandes partidas. Réver e Vaz entraram muito bem. Todos que entram evoluem", disse Arão, que completou:

"Tive passagens por times grandes e vim subindo de produção. Continuo crescendo. Quando cheguei no início do ano, disse que queria continuar melhorando. Acho que estou conseguindo. Não sei qual o limite do meu futebol, quero continuar trabalhando para chegar num limite muito alto."

O Flamengo, que desperdiçou a chance de sair com a vitória da partida contra o São Paulo, com o pênalti perdido por Alan Patrick, busca voltar a vencer nesta quarta-feira. O Rubro-Negro encara o Santa Cruz, às 21h, no Arruda.

"Dos jogos que vi contra o Santa Cruz eu não vi esse 'deixar jogar'. É uma equipe muito forte, se eles deixarem os jogadores deles na frente, a gente vai jogar. Vamos nos preocupar com a parte defensiva, mas não vamos deixar de atacar. Sempre dificíl jogar na casa do adversário, sabemos que o Santa Cruz faz valer o mando de casa, venceram três jogos. Estivemos lá na pré-temporada, foi um jogo difícil, mas estamos preparados", concluiu.