Ibovespa cai 1,53% com incerteza eleitoral após morte de Campos

Investidores do mercado financeiro especulam qual será o impacto do acidente no quadro eleitoral do país. Petrobras teve queda de 5%

Por O Dia

O Ibovespa fechou com queda de 1,53%, a 55.581 pontos, afetada pela notícia do morte do presidenciável Eduardo Campos em decorrência da queda do avião que viajava na cidade de Santos nesta manhã. As ações da Petrobras, mais sensíveis ao cenário eleitoral, tiveram uma das maiores quedas, de 5,15%.

Dólar terminou o dia vendida a R$ 2,2787, em alta de 0,01%. O Dow Jones subiu 0,55%, a 16.651 pontos. O Standard & Poor's 500 ganhou 0,67%, para 1.946 pontos. O Nasdaq subiu 1,02%, a 4.434 pontos.

À frente das perdas, MMX Mineração caiu 7,58%. Na ponta positiva, Braskem PNB subiu 2,49%. "A bolsa operava estável até a notícia da morte de Campos. O cenário político está no foco dos investidores, e tudo mais ficou em segundo plano", disse o operador da Renascença Corretora Luiz Roberto Monteiro.

Nas mesas de operação, os investidores ficaram indecisos em meio às diversas especulações sobre a mudança do quadro eleitoral. “As posições meio divididas. Se a ex-senadora Marina Silva se candidatar é possível que herde os votos de Eduardo Campos, o que pode ser positivo para a oposição, disse o operador da Tov Corretora, Luis Morato. “No entanto, se ela não se candidatar, a lacuna de Campos pode beneficiar a presidente Dilma a ganhar a eleição ainda no primeiro turno”, afirmou.

Um analista que pediu pra não ser identificado declarou que “ninguém sabe o que fazer por enquanto. O clima é de total indecisão”. Já a equipe de análise da SLW Corretora acredita que os eleitores que estavam com Eduardo Campos podem migrar o voto para Dilma. “Pode haver uma comoção nacional”, declarou.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones subiu 0,55%, o S&P ganhou 0,67% e o Nasdaq subiu 1,02%.

No mercado de câmbio, o dólar terminou o dia estável, cotado a R$ 2,278 na venda. 

Últimas de _legado_Notícia