Bradesco libera R$ 10 bi a PME

Banco aposta no aquecimento da economia no 2º semestre e se diz “confortável” com níveis de inadimplência

Por O Dia

O Bradesco está oferecendo R$ 10 bilhões a seus cerca de 1,5 milhão de clientes classificados como pequenas e médias empresas (as PMEs, com faturamento até R$ 30 milhões por ano).
São três linhas. A primeira delas é destinada a formação de estoque do varejo para atender o aumento da demanda das vendas no final do ano. Denominada Compror Estoque Fácil, a nova linha tem como diferencial a possibilidade de pagamento da primeira parcela apenas em janeiro de 2015.

Apesar da economia fraca, o banco está apostando na recuperação que tradicionalmente ocorre no segundo semestre do ano. “Desta vez temos também mais dias úteis, e, além disso, em período eleitoral há demanda por parte das PMEs na cadeia de serviços (mídia, gráficas e transportes, por exemplo)”, diz diretor executivo do Bradesco, Altair Antônio de Souza. Para o executivo, haverá demanda. “As três linhas são voltadas para capital de giro. Este é o período do ano onde existe mais demanda, como por exemplo pela necessidade de pagamento do décimo-terceiro salário de empregados”, lembra. No ano passado, diz Souza, o Bradesco emprestou apenas para esse linha cerca de R$ 2 bilhões para seus clientes PMEs. O Bradesco anunciou R$ 8 bilhões para PMEs no começo do ano.

Em relação à inadimplência, o diretor do Bradesco se diz “confortável” com os índices, que estão estáveis, afirma. No segundo trimestre deste ano, o Bradesco registrou ligeiro aumento, para 3,5%, nos atrasos acima de 90 dias. No final de junho, 25,8% da carteira de R$ 435,2 bilhões em empréstimos do banco eram para micro, pequenas e médias empresas. Nós já conhecemos esses clientes, que deixam fluxo de caixa cheque pré-datados cobrança recebíveis de cartões e pagamentos”, diz.

“Nosso objetivo é oferecer alternativa ao setor de varejo para negociar melhores condições de compra junto aos seus fornecedores, com fôlego para que ele possa estocar, vender e só começar a pagar em janeiro de 2015”, afirma o executivo. “Acreditamos que com isso estamos estimulando a economia, apoiando um segmento que é fundamental, a atividade comercial, principalmente para as vendas de final de ano”.

O Compror Estoque Fácil opera com taxas a partir de 1,72% ao mês e prazo de financiamento de até 13 meses, sendo que a primeira parcela poderá ser paga em até 150 dias após a contratação, ou seja, em janeiro de 2015. As linhas destinadas ao reforço de capital de giro e ao financiamento da antecipação do pagamento do 13º salário têm taxas a partir de 1,80% ao mês. A linha para capital de giro tem prazo de até 36 meses. Já para a linha para antecipação de 13º salário, o prazo é de até 16 meses. Ambas tem carência de até 90 dias para o pagamento da primeira parcela.

Últimas de _legado_Notícia