Ibovespa abre a semana volátil com Petrobras no radar

Ação da estatal cai mais de 1% como reflexo das incertezas em relação a nova direção. Dólar segue em alta, cotado a R$ 2,79

Por O Dia

O Ibovespa abre a semana volátil, pressionado pelos papéis da Petrobras, que refletem a incerteza dos investidores após a nomeação de Aldemir Bendine para a presidência. O mercado avalia ainda as projeções do Boletim Focus, que apontou, pela primeira vez no ano, estagnação para a economia em 2015. A perspectiva da inflação, por sua vez, ficou acima dos 7%. Por volta das 13h, o Ibovespa subia 0,58%, aos 49.073 pontos.

As ações preferenciais da Petrobras perdiam 1,75% e as ordinárias tinham queda de 0,44%. Além das incertezas em relação ao novo comando, o Credit Suisse rebaixou a recomendação dos papéis da petroleira de “neutra” para “venda”. À frente dos ganhos, CSN ON avançava 5,46%. Na outra ponta, Qualicorp ON desvalorizava 8,02%.

Na agenda, o Boletim Focus apontou a redução da estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 0,03% para zero. Em relação a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), houve avanço na projeção, que passou de 7,01% para 7,15% em 2015 – acima do teto da meta, de 6,5%.

Nos Estados Unidos, as bolsas abriram em campo negativo. A balança comercial da China apresentou a maior queda nas exportações em mais de cinco anos, o que elevou seu superávit comercial. Entretanto, o dado pressiona ainda mais os preços das commodities, o que reflete de maneira negativa nas companhias norte-americanas.

Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulgou um relatório nesta segunda-feira no qual prevê que a demanda pela sua produção irá aumentar este ano, e sinalizou ainda que a estratégia continua sendo de manter os preços do óleo baixos no mercado internacional, o que prejudica os produtores rivais, como empresas dos Estados Unidos. Segue também no radar do mercado as negociações do novo governo da Grécia para manter o país na Zona do Euro.

No mercado de câmbio, o dólar sobe 0,42%, cotado a R$ 2,79 na venda.

Últimas de _legado_Notícia