Castro envia condolências a Obama por massacre em Orlando

Em mensagem ao povo e ao líder americano, Raúl também condenou todos os atos de terrorismo e ódio

Por O Dia

Havana - O presidente de Cuba, Raúl Catro, enviou uma mensagem nesta segunda-feira ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressando condolências e condenando "todo ato de terrorismo e de ódio", pelo massacre ocorrido ontem boate gay "Pulse", em Orlando, que deixou 50 mortos e 53 feridos.

"Com profunda consternação conhecemos o ataque ocorrido contra uma casa noturna na cidade de Orlando, Flórida, que causou lamentáveis perdas humanas e dezenas de feridos", manifestou o governante cubano em carta divulgada pela imprensa oficial. O presidente cubano afirmou que destinava sua mensagem ao governo e ao povo dos Estados Unidos, em particular as pessoas e familiares afetados pela tragédia.

Atirador massacrou público de boate gay em Orlando%2C nos Estados Unidos%2C deixando ao menos 50 mortos%2C no maior ataque armado na história do paísFoto%3A EFE

"Cuba rejeita e condena inequivocamente todo ato de terrorismo ou de ódio em qualquer lugar, sob qualquer circunstância e quaisquer que sejam as motivações que levem a isso", finalizou. Na madrugada de sábado para domingo, a boate foi palco de um tiroteio atribuído ao cidadão americano, de origem afegã, Omar Mateen, de 29 anos. Nascido em Nova York, ele morreu no enfrentamento com a polícia.

As investigações das autoridades norte-americanas sobre este fato tentam descobrir se o autor do massacre tem ou não vinculações com o terrorismo jihadista, depois que o Estado Islâmico reivindicou o ataque. Em outra mensagem também divulgada hoje, o líder cubano manifestou suas condolências ao presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, pelas vítimas do ataque de 5 de junho na cidade de Aktobe, que deixou sete mortos e mais de 30 feridos.

Leia mais: 

Vídeo: Vítima gravou início dos disparos em massacre de Orlando

Norte-americano muçulmano prega o fim do ódio ao doar sangue em Orlando

Omar Mateen era 'instável e perturbado', diz ex mulher de atirador

Últimas de _legado_Mundo e Ciência