Mãe recebeu mensagens do filho que estava em boate em Orlando: 'Vou morrer'

Eddie Jamoldroy Justice, de 30 anos, está entre os mortos, vítima do atirador Omar Saddiqui Mateen

Por O Dia

Flórida - Uma mãe recebeu minutos antes -- do massacre na boate Pulse, em Orlando na Flórida -- uma mensagem do filho que estava no local dizendo que iria morrer. Mina Justice estava dormindo quando recebeu o primeiro texto de seu filho, Eddie Jamoldroy Justice. Ela ainda não teve informações do filho, segundo a agência de notícias “Associated Press”.

No final da noite desse domingo, a Prefeitura de Orlando confirmou a morte de Eddie Jamoldroy Justice, de 30 anos.

LEIA TAMBÉM: Parada Gay de Madureira silencia em homenagem às vítimas dos EUA

Mina Justice recebeu mensagens do filho Eddie%2C que estava na boate Pulse durante o ataque Reprodução/Facebook

"Mamãe eu te amo", diz a primeira mensagem recebida às 02:06. “Na boate onde houve o disparo disparo”, escreve ele em seguida. Mina Justice tentou ligar para seu filho, mas não teve nenhuma resposta. Ela, então enviou uma resposta: “Você está bem?” Às 2:07, ele escreveu: “Preso no ??banheiro”. Ela perguntou o nome da boate e ele respondeu “Pulse...chame a polícia”. Então, às 2:08 ele escreveu: “Eu vou morrer”.

Após ler a mensagem, Mina ligou para a polícia e enviou várias mensagens, a Eddie, na expectativa de que ele as respondesse. Às 02:39 ele respondeu: “Chame eles mãe. Agora. Ele está vindo. Eu vou morrer”, apelou o jovem.

Eddie Jamoldroy Justice%2C uma das vítimas do ataqueReprodução / Facebook

A mãe pediu que o filho respondesse. Então, às 2:49 Eddie escreveu que ainda estava escondido no banheiro. "Ainda aqui no banheiro. Eles -- os policiais -- precisam vir nos pegar". A mãe informou que a polícia estava lá, e o jovem escreveu "Depressa" e "Ele -- Omar Saddiqui Mateen, o assassino -- está no banheiro com a gente" e "Ele é um terrorista". Em seguida ela perguntou se o terrorista estava no banheiro e, um minuto depois, a mãe recebeu um texto final de seu filho: "Sim".

Mina Justice ainda aguarda notícias do filho, mas afirmou a repórteres locais que estava com uma sensação ruim. "Seu nome ainda não foi divulgado e isso é ruim. Eu só tenho esse sentimento. Eu tenho uma sensação ruim", disse Mina, segundo o "Florida Times Union".

O ataque deixou 50 mortos e 53 feridos dentro da boate gay 'Pulse' em Orlando, na Flórida, nos Estados Unidos. Até agora, foram divulgados os nomes de 21 vítimas do atirador Omar Saddiqui Mateen.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência