Conta Social: Rio tira nota zero em reciclagem

Taxa de recuperação de materiais descartados na capital é zero, enquanto na Região Metropolitana é de 0,4%, contra a média de 4% no Brasil

Por gabriela.mattos

Rio - O Rio de Janeiro ostenta uma posição nada agradável no ranking da gestão de resíduos sólidos. A taxa de recuperação de materiais descartados na capital fluminense é zero, enquanto na Região Metropolitana é de 0,4%, contra a média de 4% no Brasil. Em países desenvolvidos, como Japão, Canadá e Alemanha, as taxas de reciclagem podem chegar a 40%.

Os dados são de levantamento feito pelo Islu (Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana), que analisou a limpeza urbana em 13 municípios da região. Desenvolvido em parceria pelo Selur (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana do Estado de São Paulo) e pela PwC Brasil, o índice avalia que São Gonçalo, Niterói, Magé e Japeri ainda não têm uma política adequada de descarte de resíduos.

Rio tira nota zero em reciclagemReprodução

“Em cidades como Magé e Maricá a cobertura de serviço não atinge 90% da população, quando o necessário é 100% de alcance”, pontua Ariovaldo Caodaglio, conselheiro do Selur.

O descarte inadequado de resíduos contamina e polui o solo, o ar e lençóis freáticos e mares (no caso de cidades costeiras), causando danos que podem levar centenas de anos para serem revertidos.

O Islu gerou resultados em 1.721 municípios brasileiros. Os dados utilizados foram coletados na base de 2014 do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento).

Mutirão de limpeza urbana nas praias

No próximo sábado, as praias de Copacabana, Urca, Ipanema, Leblon, São Conrado, Joatinga, Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Macumba, Guaratiba, Sepetiba, Paquetá e Ilha do Governador serão invadidas por um “arrastão do bem”. São centenas de voluntários dispostos a ajudar a limpar o mundo!

A 14ª edição da Clean Up The World, maior mutirão de limpeza urbana do planeta, acontece em 120 países entre os dias 16 e 18. Este ano, os voluntários na orla do Rio e na Costa Azul da Bahia serão capacitados e distribuídos pelo Instituto Eventos Ambientais (Ieva). A novidade será o plantio de 11 mudas de árvores na orla do Rio.

Boas ações do dia

Começa quarta-feira a 11ª edição da campanha ‘Universitário Sangue Bom’, que levará coletas itinerantes de sangue para diversas faculdades. Em parceria com o Hemorio, a ação já coletou mais de 7000 bolsas de sangue.

O Comitê Olímpico do Japão quer saber como os brasileiros conseguiram envolver os voluntários na Rio 2016. O segredo pode estar na capacitação. Durante cinco meses, 100 professores da Estácio treinaram 50 mil pessoas. Foram 9.150 horas de aula e 1.450 sessões presenciais em seis pontos do país.

O projeto Jogo Aberto, da Fundação Gol de Letra, realiza a 2ª Caminhada Esportiva, no sábado, às 8h, no Caju. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia