Após anúncio de Trump, Pentágono se manifesta sobre proibição a transexuais

General espera comunicação interna e formulação de diretrizes para implementar polêmica medida

Por O Dia

EUA - O chefe do Estado Maior Conjunto dos Estados Unidos, o general Joseph Dunford, assegurou nesta quinta-feira que o Pentágono não aplicará, até segunda ordem, a decisão de proibir o alistamento de transexuais nas Forças Armadas do país, que foi anunciada ontem pelo presidente Donald Trump. 

"Não haverá modificação alguma à política atual até que o secretário de Defesa [James Mattis] tenha recebido a ordem do presidente e emita diretrizes para implementá-la", disse Dunford em uma comunicação interna. "Enquanto isso, seguiremos tratando todo nosso pessoal com respeito", acrescentou o chefe do Estado Maior Conjunto, que ordenou aos comandos que "permaneçam focados" em suas missões militares.

Trump anunciou ontem a sua decisão de proibir que pessoas transgênero "sirvam em qualquer área" das Forças Armadas americanas após ter consultado, segundo ele mesmo garantiu, seus "generais e especialistas militares". "As nossas Forças Armadas devem se concentrar em vitórias decisivas e extraordinárias, e não podem se preocupar com os tremendos custos e interrupções médicas que seriam causados por transgêneros entre os militares", argumentou Trump em um surpreendente anúncio no Twitter.

Donald Trump anunciou polêmica medida via Twitter, mas Pentágono ainda espera formalizaçãoAFP

Apesar de Trump ter dito que consultou seus "generais e especialistas militares", veículos de imprensa norte-americanos publicaram hoje que Mattis, chefe do Pentágono, foi avisado da decisão tomada pelo presidente na véspera do anúncio.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência