Prédio em construção desaba em São Paulo

Estrutura cedeu no início desta manhã em São Mateus, zona leste. Bombeiros confirmam mortes e que há soterrados

Por O Dia

São Paulo - Um prédio comercial em construção desabou na manhã desta terça-feira, na zona leste de São Paulo, e deixou ao menos sete mortos. Ao todo, os bombeiros confirmam que dez pessoas ainda estão soterradas. O acidente ocorreu por volta das 8h30 em uma estrutura localizada na avenida Mateo Bei, número 2.300. O edifício que desabou tinha dois pavimentos e estava em construção há três meses.

Mais de vinte pessoas foram resgatadas com vida pelos bombeiros. Prédio desabou por volta das 8h30 desta terça-feiraAgência Brasil

Entre as vítimas fatais, segundo o major Anderson Lima, dois corpos foram resgatados e outros três ainda estão entre os escombros. Já o número de atingidos encontrados com vida chega a 22. Todos foram encaminhados aos hospitais Santa Marcelina, São Miguel, Sapopemba e Tatuapé com ferimentos leves a moderados. Uma das vítimas manteve contato com os bombeiros via celular e foi socorrida. O jovem de 24 anos chegou a indicar o local onde estava soterrado.

Todas as pessoas envolvidas seriam operários que trabalhavam durante o colapso. Os bombeiros estão no local com 23 viaturas com 73 homens, dois helicópteros Águia da Polícia Militar e cães farejadores para o trabalho de resgate. Pessoas que estavam no entorno também receberam os primeiros socorros.

Ainda não há confirmações sobre o que teria causado o desabamento. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou a avenida nos dois sentidos e isolou a região. Equipes da Eletropaulo, Sabesp e Congás estão no local e apoiam atendimento. Ao menos quatro casas tiveram a estrutura comprometida e foram interditadas pela Defesa Civil.

Automóveis que estavam próximos ao prédio também foram atingidosAgência Brasil

Aluguel do prédio

O imóvel seria alugado para ser uma loja da rede Magazine Torra Torra. Segundo nota enviada para a imprensa, a empresa informa que o imóvel não era de propriedade da rede, que só assumiria a fase final de acabamento da construção após um laudo comprovar a segurança da obra.

"Havia um contrato de locação do prédio pelo Torra Torra, no entanto a rede somente assumiria finalizadas as obras estruturais, pelo proprietário. Dessa forma, o Magazine Torra Torra não tem nenhuma responsabilidade sobre a parte de engenharia civil. No momento, uma empresa de engenharia contratada pelo Magazine Torra Torra realizava uma avaliação sobre as condições de uso do prédio. Caso esse laudo técnico fosse positivo, atestando a segurança estrutural, a rede então faria o acabamento para abrigar mais uma unidade", diz a nota.

As informações são de Wanderley Preite Sobrinho

Últimas de _legado_Brasil