Por thiago.antunes

Recife - Um dia depois de participar de evento com Marina Silva, no Rio, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, subiu o tom e criticou duramente a presidenta Dilma Rousseff. Pré-candidato do PSB, Campos fez as declarações em Surubim, no Agreste pernambucano, para onde foi cumprir a Agenda 40, como chama a lista de compromissos da chapa majoritária ao governo estadual.

“Não podemos deixar o Brasil derreter na inflação, no populismo, entregando cargos como se estivesse distribuindo bananas ou laranjas”, atacou Campos, que espera para abril o sim de Marina Silva como sua candidata a vice-presidente.

Campos em campanha%3A governador de Pernambuco elogiou Lula antes de bater forte na presidentaEduardo Braga / SEI

Diferenciando Lula de Dilma, o governador de Pernambuco lamentou que a atual presidenta não tenha dado sequência ao que recebeu de seu antecessor. “O presidente Lula sequenciou com sabedoria e inteligência as conquistas que encontrou do governo que o antecedeu. Mas o que aconteceu é que ela (Dilma) não soube fazer o que estava predestinada, encarregada de fazer”, disse. “Todos nós entregamos à sua excelência, a presidente, a chance para que ela fizesse o Brasil seguir mudando e melhorando.”

Para Campos, o fato de ser pouco conhecido pela população, a pouco mais de seis meses da eleição, não é impeditivo para que ele sonhe em sair vencedor. Citando seus conhecimentos em Matemática, o governador de Pernambucano investiu na regra de três.

“Hoje só 30% do povo brasileiro me conhece. E o mínimo com que apareço nas pesquisas é com 12%. Façam a regra de três. Daqui até o dia 5 de outubro, 100% vai conhecer”, disse. Ele aposta tudo na segunda fase da campanha, quando entrará em cena o horário eleitoral gratuito nas TVs. Ele lembrou que em sua primeira campanha a governador, começou com 3% nas pesquisas.

Você pode gostar